Anúncios Patrocinados
ATUALIZAÇÃO DE GPS 2017 TODAS AS MARCAS
R$ 50,00
Clique aqui e veja mais
Bom Dia - Mauá,
Domingo, 23 de julho de 2017
 
 
 
Mauá Virtual
 

 
quarta-feira, 6 de janeiro de 2016 - 09:51h
Preço médio dos imóveis tem queda real na região
 
Preço médio dos imóveis tem queda real na região

O preço médio do metro quadrado dos imóveis na região teve queda real em 2015 na comparação com o ano anterior, revela o Índice FipeZap. O levantamento, divulgado ontem, é feito em parceria entre a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e o portal ZAP Imóveis, e leva em consideração os valores anunciados na internet.

A pesquisa compara os preços em 20 cidades brasileiras, entre elas Santo André, São Bernardo e São Caetano. Nos três municípios da região, houve variação nominal (sem considerar a inflação) positiva de 2014 para 2015. Entretanto, se for descontado o acumulado do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 12 meses – estimado em 10,72%, pois a divulgação oficial ocorrerá na sexta –, as quedas reais foram de 5,56%, 6,89% e 6,45%, respectivamente. Na Capital, a redução foi de 7,41%. Na média de todas as localidades pesquisadas foi registrada retração real de 8,48%.

Com isso, o preço médio do metro quadrado dos imóveis prontos chegou a R$ 5.831 em São Caetano; R$ 5.107 em Santo André; e R$ 4.754 em São Bernardo. Em São Paulo, é de R$ 8.619. E a média nacional é de R$ 7.613.

O ex-delegado regional do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis no Estado de São Paulo), Alvarino Lemes, avalia que a desvalorização dos imóveis é consequência da crise econômica do País, especialmente no que diz respeito à falta de confiança por parte de investidores e consumidores em geral. “A pessoa sente-se insegura para assumir uma dívida a longo prazo e, por isso, evita comprar agora. Isso puxa os preços para baixo, já que há menos demanda.”

Além dos imóveis novos, ele cita que a recessão também provoca barateamento dos usados. “Quem tinha, por exemplo, apartamento de R$ 400 mil e perde um emprego, vende essa unidade a um preço mais baixo e compra outra mais acessível.”

Miguel Colicchio, o Guta, proprietário da Colicchio Imóveis, de Santo André, acrescenta que os imóveis novos que estão sendo comercializados agora foram lançados há cerca de três anos, quando o mercado estava aquecido. “Agora, essas unidades têm de ser colocadas à venda. Como há muita oferta e pouca procura, o preço cai. Para quem quer e pode comprar, o momento é agora.”

Em sua avaliação, o que pode reaquecer o setor imobiliário são as medidas a serem tomadas pelo governo federal para tentar retomar a credibilidade dos investidores. Mesmo diante da crise, Guta assegura que o imóvel continua sendo o investimento mais seguro.

Fonte: Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

 
Comente
Enviar Notícia à um Amigo  Imprimir Notícia  
 

Perfil do colunista

Roberto Lehpamer
Olá, tenho 49 anos e sou formado em Administração de Empresas e Transações de Técnicas Imobiliárias. Atualmente sou sócio proprietário da Empresa GLOBEWEB – Agência Digital e aqui tratarei de auxiliá-los no assunto sobre Mercado Imobiliário.
 

Escreve sobre

Tratará assuntos sobre o Mercado Imobiliário
 

Contato

Site     Email

As últimas

1ª 9/5/2017
Caixa Reduz até 21% de Juros Para Financiamento Imobiliário

2ª 5/8/2016
Crise faz mais 5 mil corretores de imóveis abandonarem a carreira.

3ª 27/4/2016
Corretor de imóveis: saiba como planejar uma aposentadoria segura

4ª 6/1/2016
Preço médio dos imóveis tem queda real na região

5ª 27/7/2015
Caixa anuncia linha para financiamento de até 85% do imóvel com taxas de 7,85% a.a

     



Mauá Virtual - O Guia Virtual da Cidade
Todos os direitos reservados - 2017 - Desde 2003 à 5249 dias no ar.

Página Inicial     Anuncie Conosco     Fale Conosco
 
Projeto desenvolvido
pela Agência de
Web & Design Globeweb
www.globeweb.com.br
Produzido por | globeweb | www.globeweb.com.br