NOTÍCIA ANTERIOR
Atende Fácil deve mudar de endereço
PRÓXIMA NOTÍCIA
Ribeirão reajusta tarifa de ônibus para R$ 4 a partir de domingo
DATA DA PUBLICAÇÃO 08/08/2017 | Setecidades
Vila São Pedro começa a receber melhorias do governo
Vila São Pedro começa a receber melhorias do governo Foto: Nario Barbosa/DGABC
Foto: Nario Barbosa/DGABC
A Prefeitura de São Bernardo pretende iniciar a regularização fundiária da Vila São Pedro ainda neste mês. A demanda é uma das principais preocupações dos cerca de 30 mil moradores do bairro, um dos mais populosos e problemáticos da cidade, que completou 30 anos no fim de junho. O local também ganhou inspetoria da GCM (Guarda Civil Municipal), inaugurada no sábado pela administração municipal.

Composto por áreas públicas e particulares, o bairro tem demanda de infraestrutura em cerca de 50% da área de intervenção, que corresponde a aproximadamente 5.000 moradias. No entanto, algumas delas já estão em fase final de regularização. Para o processo, a área foi dividida em Vila Mariana e Vila Boa Vista/Santana, com cerca de 2.500 moradias com toda a infraestrutura necessária.

A Vila Mariana, por exemplo, está na fase final de regularização, com a documentação pronta para protocolizar registro no CRI (Cartório de Registro de Imóveis). Já a Boa Vista/Santana está com projeto em fase de acertos para aprovação. O que é denominado Vila São Pedro, com cerca de 5.000 moradias, tem infraestrutura parcial. Neste mês, a regularização será iniciada com reunião na comunidade para participação de moradores no processo e definição de representantes que devem acompanhar o processo.

“Cheguei da Paraíba em 1978. Em 29 de junho de 1987 invadimos a área que pertence à massa falida. Conseguimos fazer 20 barracos à noite. Aqui não pode entrar banco, não pode entrar nada porque não pagamos IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbana). O nosso sonho é ter a escritura”, conta Geraldo Gomes da Silva, 55 anos, presidente da Sociedade Amigos de Vila São Pedro.

A faxineira aposentada Maria Sueli Frutosa, 65, paga IPTU, água e esgoto, mas não tem a escritura da casa, o que é um grande sonho de toda a família. “Tenho fé que isso deve acontecer em breve, até porque eu amo a vila e não quero nunca sair daqui”, disse.

BASE GCM

No fim de semana, o Prefeito Orlando Morando (PSDB) inaugurou base administrativa da GCM (Guarda Civil Municipal) no bairro. Conforme o prefeito, a ação integra a reestruturação da corporação. “Estamos dando melhores condições aos GCMs. No mês passado, inauguramos base no bairro do Tiradentes e, no sábado, nova inspetoria na Vila São Pedro, mais moderna e confortável para o ambiente de trabalho”, afirmou.

O espaço atenderá a 45 prédios públicos, incluindo 36 escolas. “Saímos de efetivo de 16 GCMs para 80. Há espaço com salas de armas e vestiários adaptados. O objetivo é oferecer conforto aos nossos GCMs, que são colaboradores importantes dentro da gestão municipal”, explicou o prefeito.

Os moradores elogiaram a iniciativa. A técnica de enfermagem Laisla Tainan Carvalho de Jesus, 27, grávida de cinco meses, passa pelo local entre a base e a inspetoria diariamente. “Moro aqui na Vila São Pedro há mais ou menos um ano. Mas morei na Tiradentes por 20. Depois das inaugurações destas duas bases melhorou muito. Nunca fui assaltada, mas sempre ouvi muitas histórias, principalmente neste trecho. Agora, fico com menos medo e mais tranquila”, contou.

Vila foi fundada por trabalhadores

Há cerca de 30 anos, os relatos eram de imensos matagais e barrancos na Vila São Pedro. Foi neste cenário que barracos de madeira começaram a ser construídos por trabalhadores de empresas do entorno.

A faxineira aposentada Maria Sueli Frutosa, 65 anos, chegou à vila antes mesmo de o local ter nome, em 1972, juntamente com o ex-marido e um filho. A família, vinda de Recife, em Pernambuco, chegou à região em caminhão popularmente conhecido como ‘pau de arara’, que trouxe muitos imigrantes nordestinos a São Paulo. Foram quase quatro dias de viagem.

Hoje, são mais seis filhos e nove netos. Na casa em que ela construiu, vive com as constantes presenças dos pequenos e dos filhos no mesmo terreno, e se orgulha de ter uma vida melhor como faxineira aposentada. “Já cheguei a pedir esmola porque não tínhamos o que comer. Lembro-me que alugamos um barraco por 30 cruzeiros quando chegamos. Na época moravam mais umas 20 famílias aqui.”

Há 30 anos, quando o nome foi escolhido, já havia 1.500 pessoas, dentre elas Renato Jesus Santos, 61, que tinha comprado terreno no local. “Tinha um fusquinha, mas não tinha nem asfalto aqui. Tudo era barro. A maioria trabalhava nas montadoras. Posso dizer que hoje melhorou muito, mas está longe de estar 100%”, afirmou o operador de máquina aposentado.

“Aqui é o paraíso. Costumo dizer que a Vila São Pedro é uma cidade dentro da cidade de São Bernardo. Somente vou sair daqui quando morrer. Mas, espero que essa nova gestão tenha um olhar maior para nós”, afirmou o comerciante José Batista, 61. Ele tem uma loja de ervas medicinais.

Por Bia Moço, Matheus Angioleto - Especiais para o Diário e Yara Ferraz - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
25/09/2018 | Acidente na Tibiriçá termina com vítima fatal
25/09/2018 | Santo André quer tombar 150 jazigos de cemitérios municipais
21/09/2018 | Região ganha 13 mil árvores em um ano
As mais lidas de Setecidades
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6286 dias no ar.