NOTÍCIA ANTERIOR
Casos de dengue crescem 845%
PRÓXIMA NOTÍCIA
Homicídios despencam no Grande ABC em 20 anos
DATA DA PUBLICAÇÃO 26/09/2015 | Setecidades
Veículos pesados são 1/4 do fluxo total do Trecho Leste do Rodoanel
Veículos pesados são 1/4 do fluxo total do Trecho Leste do Rodoanel Foto: André Henriques/DGABC
Foto: André Henriques/DGABC
Após três meses da inauguração de sua última etapa, o Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas registra 27%, ou pouco mais de 1/4, de caminhões em relação ao fluxo total de veículos. Na avaliação da SPMar, concessionária que administra o tramo, o número poderia ser maior caso as prefeituras do entorno da via adotassem medidas de restrição ao fluxo de veículos pesados em suas principais avenidas.

Um dos principais objetivos do anel viário é reduzir o trânsito na região e na Zona Leste da Capital. Segundo o diretor executivo da SPMar, Marcos Abreu Fonseca, as prefeituras precisam colaborar para ampliar o número de caminhões que optam pelo Trecho Leste, considerado abaixo da expectativa. “Para o Rodoanel contribuir ainda mais com a redução do trânsito não só no Grande ABC, mas também nas avenidas Jacu-Pêssego e Salim Farah Maluf, é necessário que os municípios criem mecanismos que potencializem esse movimento, como, por exemplo, restrições de horários para caminhões nas importantes artérias municipais.”

Exemplo de eficiência da rodovia para veículos pesados pode ser visto no caso de motoristas que estão na Rodovia Ayrton Senna e querem acessar o Porto de Santos ou Litoral pelo SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes). Quem optar pelo trecho irá andar 4,9 quilômetros a menos que pelo Complexo Jacu-Pêssego. Em horário de pico, a viagem pode ter economia de tempo de até 45 minutos, segundo a SPMar.

Além disso, diferentemente da Jacu-Pêssego, o Rodoanel não possui semáforos ou cruzamentos, permitindo ao motorista que o utiliza manter velocidade constante.

Depois da inauguração do seu último trecho viário, que faz a ligação da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em Arujá, com a Ayrton Senna, o Trecho Leste vem trazendo série de benefícios para os motoristas do Grande ABC. Desde então, moradores da região passaram a ter acesso a uma via expressa que une as dez principais rodovias que chegam à região metropolitana de São Paulo.

Um dos exemplos que simplificam a redução de tempo de viagem pode ser visto quando analisado o trajeto da Prefeitura de Santo André com destino à Rodovia Anchieta (km 30). Conforme a SPMar, pelo Rodoanel o tempo de viagem é de 27 minutos, enquanto pela Avenida Prestes Maia a duração do trajeto é de 35 minutos e pela Avenida Pereira Barreto, 41 minutos.

O complexo viário ainda deve trazer mais benefícios para a região quando o Rodoanel for ligado a Ribeirão Pires e Suzano. A obra já foi aprovada em maio e está avaliada em mais de R$ 160 milhões, com 100% de investimento privado. Ela consiste em uma ligação rodoviária de 2,4 quilômetros, em pista dupla, com duas faixas de rolamento por sentido, seis viadutos e um quilômetro de vias marginais. A previsão é que as intervenções gerem 900 empregos, mas ainda não há prazo.

MULTA

Referente à possível multa que a SPMar pode ter de pagar após atrasar as obras do Rodoanel Leste, a Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo) informou, em nota, que ainda está analisando as alegações finais da concessionária, conforme estabelece a lei.

Média diária de uso aumenta 175% após conclusão das obras na rodovia

Segundo dados da SPMar, responsável pela administração da via, o Trecho Leste do Rodoanel registrou no último mês média de 25 mil veículos diários, sendo mais de 28 mil nos dias úteis e acima de 16 mil no fim de semana. O índice representa crescimento de 175% em relação ao mesmo período de 2014, quando a média era de 9.000 veículos/dia.

Desde a inauguração, 7 milhões de veículos passaram pelo trecho, que possibilitou viagens mais curtas, além de melhoria de acesso, facilitando a chegada dos motoristas aos principais pontos de transporte do País, como o Porto de Santos e o aeroporto de Guarulhos.

“O Rodoanel Leste passa por um momento de maturação, pois o motorista está se acostumando a usar a rodovia como a melhor opção de caminho”, garante o diretor executivo da SPMar, Marcos Abreu Fonseca.

Além de economia de tempo, a rodovia conta com média de acidentes baixa. O índice é de 0,56 por dia ou uma ocorrência a cada 42 horas.

Por Daniel Macário - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
25/09/2018 | Acidente na Tibiriçá termina com vítima fatal
25/09/2018 | Santo André quer tombar 150 jazigos de cemitérios municipais
21/09/2018 | Região ganha 13 mil árvores em um ano
As mais lidas de Setecidades
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6196 dias no ar.