NOTÍCIA ANTERIOR
MP da reforma do ensino médio será levada a Temer na quinta
PRÓXIMA NOTÍCIA
Alunos ganham viagem para Portugal
DATA DA PUBLICAÇÃO 23/09/2016 | Educação
UFABC é a 3ª melhor universidade do Brasil
UFABC é a 3ª melhor universidade do Brasil Foto:  Celso Luiz/DGABC
Foto: Celso Luiz/DGABC
A UFABC mais uma vez voltou a figurar com boa colocação em um ranking internacional. Desta vez, a instituição de ensino foi classificada em terceiro lugar no País no levantamento elaborado pela THE (Times Higher Education) – tradicional entidade dos Estados Unidos que avalia o Ensino Superior do mundo.

A universidade, que conta com 13 mil alunos na graduação e 1.500 na pós, aparece pela primeira vez no ranking internacional e foi classificada entre a 601ª e 800ª posição mundial em 2016. O levantamento divulga somente a colocação exata das instituições até o 200º lugar.

Ao todo, o THE analisou os dados de 980 universidades de 79 países para a 13ª edição de seu ranking anual. A colocação leva em conta cinco áreas: ensino, pesquisa, citações, panorama internacional e renda industrial (transferência de conhecimento).

Na descrição da UFABC, os responsáveis pela elaboração do ranking destacam a competitividade do processo seletivo. “Todos os anos, as admissões à universidade são extremamente competitivas”. O texto ainda destaca o progresso para “aceitar estudantes provenientes de minorias e comunidades mais pobres”.

Outro ponto ressaltado na apresentação é a notoriedade alcançada pelos projetos de iniciação científica da universidade. “Em 2011, a UFABC foi a única universidade do País com fator de impacto em publicações científicas acima da média mundial. A instituição de ensino está envolvida na pesquisa com o Large Hadron Collider e a Organização Europeia para a Investigação Nuclear, e colabora com o Instituto Max Planck, Paris Sud 11 University, os australianos National Laboratories Acustics e do Instituto Nacional de Ciência dos Materiais no Japão, entre outras pesquisas”.

Para o reitor Klaus Capelle, a boa colocação se deve a duas razões principais. “Primeiro, o projeto acadêmico inovador, que enfatiza a interdisciplinaridade e a interação do conhecimento. O outro é a qualificação do corpo docente, que só contrata professores com título de doutor e que estejam ativos em alguma pesquisa”, explicou.

Mesmo com cortes no orçamento por parte do governo federal, que acontecem desde 2015, a UFABC prioriza medidas econômicas para manter a qualidade do ensino. “Desligamos elevadores, reduzimos o uso do telefone e serviço de transporte para docentes, entre outras medidas”, disse.

O professor afirmou que o ganho é todo do Grande ABC. “As nossas pesquisas cientificas estão à disposição das indústrias da região, do setor público. Isso para as áreas tecnológicas, ambientais e de políticas públicas, entre outras. É importante deixar isso registrado. Queremos contribuir com isso.”

Por Daniel Macário e Yara Ferraz - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Educação
21/09/2018 | Ensino superior cresce no País, mas graças à modalidade a distância
19/09/2018 | Em crise financeira, UFABC tenta definir objetivos para 2019
18/09/2018 | Cidade francesa muda pátio de pré-escola para favorecer a igualdade de gênero
As mais lidas de Educação
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6198 dias no ar.