NOTÍCIA ANTERIOR
FMABC terá 10 cursos de pós no 2º semestre
PRÓXIMA NOTÍCIA
Governo prorroga até quinta (19) prazo para matrículas no Sisu
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/07/2012 | Educação
UFABC decide continuar em greve
UFABC decide continuar em greve Cerca de 200 docentes votaram pela continuação da greve. Foto: Andris Bovo
Cerca de 200 docentes votaram pela continuação da greve. Foto: Andris Bovo
Em assembleia realizada nesta terça (17/07), professores rejeitaram proposta do governo federal; Unifesp também mantém paralisação

A proposta de reestruturação de carreira apresentada pelo governo federal foi rejeitada por professores da UFABC (Universidade Federal do ABC) nesta terça-feira (17/07). Cerca de 200 docentes participaram de assembleia no campus Santo André e aprovaram a manutenção da greve que atinge outras 56 instituições federais em todo o País. A Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que possui campus em Diadema, também decidiu manter a greve em assembleia realizada em São Paulo nesta terça.

Os professores consideraram que a proposta não atende a principal reivindicação da categoria, que é a valorização da carreira. “Queremos uma reestruturação de carreira de modo que corrija as distorções que existem hoje e isso independe de valores. Esperamos que o governo apresente uma proposta conceitual consistente, pois as distorções foram mantidas e em alguns casos até houve piora”, afirmou o presidente da Adufabc (Associação dos Docentes da UFABC), Armando Caputi.

Os profissionais defendem o plano de carreira apresentado pelo Andes (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) que ofereceria condições iguais de evolução dentro de 13 níveis de carreira. Os servidores frisaram ainda que os aposentados não foram lembrados pela proposta do governo e ressaltaram que os 45% de reajuste anunciados na última sexta-feira (13/07) só atingiria 10% da categoria.

Na última sexta-feira, o governo anunciou que a proposta teria impacto de R$ 3,9 bilhões no orçamento e que o valor seria dividido nos próximos três anos. Para o presidente do Adufabc, a questão econômica não é prioridade. “Os professores não são irresponsáveis. Queremos uma proposta efetiva para que a gente não se depare com uma nova greve daqui três anos”, disse Caputi.

Todas as universidades que aderiram ao movimento irão realizar assembleias durante toda a semana para avaliar a proposta do governo. As respostas e as sugestões de contraproposta serão encaminhadas ao comando nacional de greve até sexta-feira (20/07). O retorno deve ser repassado ao governo federal na segunda-feira (23/07), quando uma nova reunião está agendada entre o comando nacional de greve e os ministérios do Planejamento e Educação.

O acordo entre grevistas e o governo precisa acontecer até o final de agosto, quando termina o prazo para a definição dos recurso da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2013. A greve dos funcionários das instituições federais completa dois meses nesta terça.

Por Rosângela Dias - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Educação
21/09/2018 | Ensino superior cresce no País, mas graças à modalidade a distância
19/09/2018 | Em crise financeira, UFABC tenta definir objetivos para 2019
18/09/2018 | Cidade francesa muda pátio de pré-escola para favorecer a igualdade de gênero
As mais lidas de Educação
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6194 dias no ar.