NOTÍCIA ANTERIOR
Brasil participa de competição internacional de robôs
PRÓXIMA NOTÍCIA
Estudo revela como mania de fracasso afeta o cérebro
DATA DA PUBLICAÇÃO 08/07/2008 | Tecnologia
Tratamento padrão para Aids é tão eficaz quanto personalizado
O tratamento padrão da Aids, que é adotado pelo setor público de saúde na África do Sul, é tão eficaz quanto o tratamento sob medida utilizado na Suíça, desde que as doenças sejam cuidadas o quanto antes, segundo um estudo.

Pesquisadores da Universidade de Berna e da Universidade do Cabo, cujos trabalhos serão publicados nesta terça-feira na revista especializada on-line PLoS Medicine, analisaram dados reunidos desde 2001 com mais de 2.000 pacientes beneficiados por programas de tratamento público no Cabo e mais de 1.000 tratados na Suíça.

Um quarto dos pacientes sul-africanos, afetados por uma infecção do VIH com uma das quatro triterapias (coquetel com três medicamentos), tiveram que recorrer a um tratamento dito de segunda linha durante o estudo, devido a uma resistência ao tratamento inicial, de primeira linha.

Na Suíça, onde os doentes têm acesso a tratamentos individualizados escolhidos entre 36 programas diferentes de triterapia, a metade teve que recorrer a um outro tratamento durante o período do estudo.

Nesses dois países, o nível viral no sangue foi consideravelmente reduzido no espaço de um ano com quase todos os pacientes, e a carga viral (uma volta dos níveis do vírus após um período de eficácia do tratamento) ocorreu no espaço de dois anos em 25% dos pacientes.

Mais pacientes morreram na África do Sul do que na Suíça, principalmente durante os três primeiros meses de tratamento. Essa diferença, segundo os pesquisadores, reflete provavelmente o fato de que os pacientes sul-africanos estariam em um estado mais avançado da doença do que os pacientes suíços quando começaram a ser tratados.

Segundo os pesquisadores, tais indicações reforçam a necessidade da manutenção do tratamento de saúde público e leva a crer que um tratamento mais padronizado nos países desenvolvidos não deve comprometer a eficácia do tratamento. E em todos os casos, está claro que os pacientes têm tudo a ganhar sendo tratados o quanto antes nos países com menos recursos.

Por Diário Online - AFP
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Tecnologia
21/09/2018 | Brasileiro fica quase 3 horas por dia assistindo a vídeos online; aumento foi de 135% em 4 anos
19/09/2018 | Sony anuncia PlayStation Classic, versão mini do PS1 com 20 jogos na memória
18/09/2018 | A curiosa razão por que o relógio sempre marca 9:41 nos anúncios da Apple
As mais lidas de Tecnologia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6196 dias no ar.