NOTÍCIA ANTERIOR
Teste da barriga: qual é a melhor maneira de se livrar da gordura abdominal?
PRÓXIMA NOTÍCIA
ABCD registra mais uma morte por H1N1
DATA DA PUBLICAÇÃO 13/07/2016 | Saúde e Ciência
Tempo seco aumenta risco de doenças respiratórias
A chegada do inverno é época propícia para doenças respiratórias por conta do tempo seco. Pessoas que já têm esse tipo de problema devem redobrar os cuidados neste período do ano.

A falta de chuvas, somada à poluição, causa irritação das vias superiores, gerando problemas de Saúde. É o caso da dentista Renata Aparecida Dias, 36 anos, que ontem fazia inalação no Hospital de Emergências Albert Sabin, em São Caetano, após sentir falta de ar durante a noite. “Comprei uma bombinha, mas não foi eficaz. Acredito que tenha a ver com o tempo seco porque tenho bronquite, mas há muitos anos não tinha crises.”

De acordo com o diretor-clínico da unidade de Saúde, Edler Tertuliano Lins, é normal que neste período aumente a possibilidade de problemas respiratórios, sendo os principais: asma, bronquite, rinite, sinusite, dor de garganta e pneumonia.

Esse aumento pode ser notado nos hospitais da região. Em São Caetano, os pacientes com esse diagnóstico tiveram alta de 30%.

Já em Santo André, de abril a junho, o número de internações por doenças respiratórias foi de 610, o que representa 30% do total de internações (2.033) nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e PAs (Prontos Atendimentos) da cidade.

Diadema também teve aumento: em janeiro foram contabilizados 1.077 atendimentos e em junho, 1.897envolvendo casos de bronquite, dor de garganta, falta de ar, sintomas gripais, sinusite e tosse.

Em São Bernardo, nas UPAs, verificou-se crescimento nas queixas de asma (76%), cefaleia (22%), dispneia em adulto (92%), dispneia em criança (283%) e dor de garganta (76%).

“É importante ficar atento aos sintomas gerais, como tosse, incômodos na garganta e coriza”, afirma Lins. Para evitar as doenças respiratórias, é importante se manter sempre hidratado, higienizar as mãos diversas vezes e evitar ambientes fechados.

O especialista ressalta ainda que é necessário recorrer a um médico caso esses sintomas piorem com o passar dos dias e a pessoa tenha febre alta, falta de ar ou histórico de doenças respiratórias.

CRIANÇAS

Segundo especialistas, com as crianças os cuidados devem ser redobrados, já que são parte do grupo de risco. De acordo com a coordenadora da Pedriatria do Hospital Infantil e Maternidade Márcia Braido, em São Caetano, Cibele Coelho, é importante que os pais hidratem todas as mucosas dos filhos, lavem as narinas a cada duas horas e façam inalação com soro. Também é recomendável que crianças ingiram pelo menos um litro e meio de água a mais que o normal.

“Elas ficam muito confinadas dentro da escola e, no caso dos menores, passam brinquedos na boca e repassam os vírus para os colegas. A doença é transmitida pelo ar, então, é importante tomar esses cuidados”, afirma a médica.

De acordo com ela, os casos de doenças respiratórias aumentaram 70% desde junho. A cada dez crianças que chegam ao hospital, sete apresentam algum tipo de doença respiratória.

QUALIDADE DO AR

Conforme a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), das cidades que têm estação de medição de qualidade do ar, Santo André, São Caetano e Diadema apresentam índice de qualidade moderado.

Já São Bernardo é a única que ontem registrava índice bom, segundo a Cetesb.

Por Natália Scarabotto - Especial para o Diário
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Saúde e Ciência
20/09/2018 | Campanha contra sarampo e poliomielite segue na região
19/09/2018 | É melhor dormir com ou sem meias?
19/09/2018 | Forma de andar mostra os vícios de postura
As mais lidas de Saúde e Ciência
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6192 dias no ar.