NOTÍCIA ANTERIOR
Diadema recoloca 9 mil trabalhadores
PRÓXIMA NOTÍCIA
Produção de veículos puxa indústria em outubro
DATA DA PUBLICAÇÃO 01/12/2009 | Economia
SIABC projeta R$ 120 mi em negócios imobiliários
Considerado o vilão da crise econômica mundial, o setor imobiliário dá mostras de recuperação exponencial no mundo inteiro. No Brasil, e mais especificamente no ABC, o cenário é animadoramente semelhante. E é pegando esse vácuo que acontecerá o 4ª Salão Imobiliário do Grande ABC (SIABC), com projeções negócios em torno de R$ 120 milhões nos quatro dias de evento.

A feira, que terá patrocínio do Banco do Brasil, será inaugurada na quinta-feira (3) e vai até domingo (6), entre as 10h e 21h, no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo. Estima-se que a ação traga 40 expositores e atraia 20 mil visitantes, que poderão passear pelos estandes à procura das melhores ofertas em um universo de 10 mil propostas.

Os dois motes do salão desse ano serão a boa recuperação do setor após o abalo financeiro iniciado em outubro do ano passado e o programa “Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal. Segundo o diretor do SIABC, Fernando César, o bom volume de negócios no Salão Imobiliário de São Paulo (SISP) é mais um fator de animação para os organizadores.

“Depois da divulgação do volume negociado no SISP, refizemos a projeção e devemos aumentar em 50% dos resultados obtidos no ano passado. O SIABC já é considerado o segundo maior do Estado de São Paulo”, pontuou Fernando César.

Entre os expositores estão grandes construtoras como Sammarone, Rossi, MZM, Ipoã, MRV e Plano & Plano. Além dessas empresas, outros grupos ligados a serviços imobiliários, como seguradoras, marcarão presença no evento. Os destaques para esse mercado ficam com Porto Seguro, Viana Negócios Imobiliários e Plazza Brasil Imóveis.

Outra grande atração será a ação da Caixa Econômica Federal no SIABC. O banco estatal vai disponibilizar aos interessados uma linha de crédito no local – mediante a análise prévia, antes de o negócio ser fechado.

“A Caixa vem para o evento com expectativa muito grande de fechar negócio no ato. A nossa estrutura será semelhante ao do Salão de São Paulo com capacidade para liberação da carta de crédito no próprio evento”, afirmou o executivo de negócios da Caixa Econômica, Leomar Antonuci.

Para se ter uma noção do otimismo dos organizadores, no ano passado, com grande influência da crise econômica, o salão de 2008 fechou os quatro dias de atividades com saldo de R$ 75 milhões em negócios fechados. Em 2009, a meta é R$ 45 milhões a mais.

Análise do ABC – A região é considerada um excelente local para empreendimentos, e São Bernardo, mais especificamente, aproveitou-se da onda favorável à cidade. Outros municípios que poderão se destacar são Mauá, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, que possuem esse setor mais atrasado do que as vizinhas. Santo André, em 2008, foi quem menos lançou novas obras. Já São Caetano, que tem um bom apelo para essa atividade, sofre com a falta de espaço.

Por Raphael Rocha - Estação Noticia
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6195 dias no ar.