NOTÍCIA ANTERIOR
Vanessa Damo espalha outdoors pela região
PRÓXIMA NOTÍCIA
Aliados ao governo Avamileno ameaçam deixar base
DATA DA PUBLICAÇÃO 27/12/2007 | Cidade
Shoppings do Grande ABC vendem mais
Enquanto o balanço geral de vendas dos shoppings no Brasil ficou entre 10% e 12% de crescimento nas vendas neste Natal em comparação com a data no ano passado, os centros de compras do Grande ABC dobraram a média e obtiveram aumento do faturamento de 15% até 24% no mesmo período.

Segundo a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings), esse Natal foi o melhor dos últimos 10 anos. “Tivemos indicadores favoráveis este ano, como menor desemprego, entrada de importados, elevação do crédito e aumento do poder de compra da baixa renda”, afirma Nabil Sahyoun, presidente da associação.

Para Sahyoun, a abertura de 22 shoppings, principalmente os populares, impulsionou o setor. “Há um novo consumidor que passou a freqüentar o shopping, que é o de baixa renda. Segundo a Associação Comercial de São Paulo, são 22 milhões que tiveram o poder de compra elevado. E parte vai para os shoppings”, comenta o representante dos lojistas.

O presidente da entidade destaca as vendas de vestuário como o carro-chefe do Natal. “Ele representa quase 50% das lojas em shopping e obteve um crescimento de 18%”, explica.

Grande ABC - Todos os centros de compras da região bateram suas metas de vendas e público no Natal deste ano. O ABC Plaza Shopping, de Santo André, precisou rever suas expectativas no início de dezembro: de 15% para 20%. “Percebemos que o fluxo estava maior, acima do esperado. E os 20% se confirmaram. A melhora nas vendas foi visível”, conta a gerente de Marketing Márcia Pacheco.

O Shopping Metrópole, de São Bernardo, alcançou sua meta que era de 15% de crescimento nas vendas e 13% de aumento de público.

Já o Mauá Plaza Shopping, em Mauá, superou em cinco pontos percentuais suas expectativas. Dos 19% esperados, a faturamento médio de centro ficou em 24% acima do mesmo período do ano passado. “No surpreendemos não só com ó movimento de vendas, mas também com o comportamento do consumidor, que se programou mais este ano”, diz a gerente de Marketing Ariane Oliveira.

Setor deve fechar o ano com faturamento de R$ 68,4 bilhões

O ano de 2007 deve fechar como um dos melhores dos últimos ano para os lojistas de shoppings de todo o País. Segundo a Alshop, o crescimento das vendas no setor será de 13,43% neste ano, o que representa R$ 68,4 bilhões de faturamento nominal.

A índice de aumento das vendas ficou quase o dobro do esperado pela associação nas previsões feitas no final do ano passado, que era de 7%. Em 2006, o incremento do faturamento foi de 5,42%, abaixo dos 8% previstos para o período.

Para Nabil Sahyoun, presidente da entidade, este ano foi surpreendente. “Tivemos que rever os números, pois 2007 começou bem e foi contínuo, com a queda na taxa de juros, dólar baixo que beneficiou a entrada de produtos importados e os aumento do poder de compra da baixa renda”, diz.

Neste ano, foram abertos 22 shoppings, o que gerou 3.497 novos estabelecimentos comerciais. Com isso, o número de centros de compras em todo o País chegou aos 644. Segundo a Alshop, o setor emprega 868.590 mil pessoas.

Previsão - Para 2008, a associação é um pouco mais cautelosa para não sofrer grandes decepções. No próximo ano, Alshop prevê um incremento nas vendas de 10%, chegando ao faturamento nominal de R$ 74 bilhões. Segundo Sahyoun, são 76 empreendimentos em construção para os próximos dois anos, orçados em R$ 5 bilhões em investimentos em centros de compras em todo o País.

Por Luciele Velluto - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
25/09/2018 | CPTR oferece 20 vagas de emprego (25/09)
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6194 dias no ar.