NOTÍCIA ANTERIOR
Radiografamos o ''CQC''
PRÓXIMA NOTÍCIA
Cai na rede visual de Giselle Itiê em ''Bela, a Feia''
DATA DA PUBLICAÇÃO 27/07/2009 | Cultura
São Paulo sedia festival de linguagem eletrônica
Ao apresentar as mais interessantes produções artísticas no campo das artes eletrônicas e digitais, o FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica) firmou-se como um dos principais eventos que coloca o Brasil em meio ao contexto tecnológico mundial. As recentes novidades desse mundo estarão à mostra a partir de amanhã no Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso , em São Paulo, quando abre a décima edição da exposição. A visitação ocorre até o dia 30 de agosto. A entrada é franca.

A FILE é recheada de exposições, arte interativa, games e performances, entre outras atrações. As produções e pesquisas tecnológicas apresentadas agrupam trabalhos nacionais e internacionais de cerca de 300 artistas.

"É mais do que um simples evento. O festival demonstra a inserção cultural tecnológica que estamos vivendo. Não só no Brasil, mas em todo o mundo", diz Paula Perissinotto, organizadora do FILE.

O festival busca mostrar a diversidade de diferentes vertentes das pesquisas eletrônicas. A escolha das atrações tem como critério originalidade, interatividade e a compatibilidade com o projeto. "Não focamos somente a alta tecnologia, mas sim a forma como ela é utilizada. A criatividade acaba falando mais alto", explica a organizadora.

Um dos destaques são as instalações, que reúnem experimentações de arte sonora, arte visual e interação. Em Capacitive Body, sistema de luz modular reage aos sons do meio ambiente. As vibrações de ruídos externos resultam em flashes de luz que se espalham pela sala.

Outra obra que chama a atenção é a holandesa Touch Me. O público pode interagir simplesmente pressionando uma parte de seu corpo ou qualquer objeto contra uma superfície especial de vidro gelada, dando origem a inusitadas cenas. A figura poderá ser vista posteriormente e algumas serão selecionadas para fazer parte permanente da instalação.

Pela primeira vez no festival, o sistema de caverna digital (CAVE) promete chamar bastante a atenção. Utilizando a alta imersão no universo tecnológico e da interatividade, as cavernas funcionam como uma ligação entre o mundo real e o mundo eletrônico. "Elas são uma interação direta entre o homem e a realidade virtual. É uma experiência única", diz Paula.

Entre as CAVEs está o projeto brasileiro Design Evolucionário. Ele brinca com signos evolutivos e visuais, gerando novas formas geométricas enquanto o participante presencia tudo de perto. "Você coloca óculos e luvas especiais e emerge no ambiente virtual."

Em Screen, a experiência de leitura e audição transforma-se em um grande jogo no qual o leitor pode rebater palavras que se soltam das paredes e dos textos que o rodeiam.

Além das atrações fixas, algumas atividades especiais em comemoração aos dez anos da FILE ocorrerão de forma pontual. Destaque para a participação do artista espanhol Marcel.lí Antúnez Roca, que apresenta a performance Protomembrana. No palco, ele mistura a mecatrônica e dramaturgia ao colocar vestimenta robótica e improvisar história ao vivo.

Dando ênfase às manifestações musicais e performáticas da arte eletrônica a FILE Hipersônica, que ocorre até dia 31 no Teatro do Sesi, traz apresentações de produções experimentais de sonoridade.

Complementam o restante das atividades o FILE Documenta, mostra audiovisual que traz produções cinematográficas ligadas à cultura eletrônica, e o FILE Cinema Digital, transmissão ao vivo de imagens em altíssima definição do filme Enquanto a Noite Não Chega, além de um ciclo de palestras e workshops.

FILE Exposição. No Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso (até 31 de agosto) - Avenida Paulista, 1.313. Tel.: 3146-7405. No Teatro do Sesi (até o dia 31) - Avenida Paulista, 1.313. Tel.: 3238-9787. Entrada franca.

Programação
FILE Hipersônica
Amanhã

- VJ Motomichi - No Rules, No Boundaries (live video mixing), às 19h
- D-Fuse - Particle, às 20h
- Yroyto - Eile, às 21h
- Blackhole-Factory
- Restmetall, às 22h

Quarta
- Marcel.lí Antúnez Roca - Protomembrana, às 19h
- Spark - Rbn_Esc_Av, às 20h30
- Het Vleesgeworden Videowoord - A/V Scaping Series, às 21h30

Quinta
- Transmissão 4K - Enquanto a Noite Não Chega, às 19h
- Author & Punisher - Dub Machines (NextGen of Drone Machines), às 20h30
- Playboy´s Bend - The Playboy´s Bend Show, às 21h30

Sexta
- Sadmb - Cubie, às 19h
- Tetsu Kondo - Dendraw, às 20h
- Mesa de Luz - Cotidiano, às 21h

FILE Documenta
Sempre às 18h40
Amanhã

- Conection/Magic Music From Telharmonium/Inventário das Sombras

Quarta
- Mongolia Expedisound/Air: Eating Sleeping Waiting And

Quinta
-RIP in Pieces America/Technomania/The Telephone Eulogies

Sexta
- Nine Lives/Moog

Por Luís Felipe Soares - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Cultura
25/09/2018 | Encontro com o passado
21/09/2018 | ''Sou muito feminino, isso é uma grande qualidade'', diz Chay Suede a Pedro Bial
20/09/2018 | Avril Lavigne lança Head Above Water, música sobre a doença a qual sofre
As mais lidas de Cultura
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6198 dias no ar.