NOTÍCIA ANTERIOR
Chuva para cinco cidades da Região
PRÓXIMA NOTÍCIA
Grande ABC mergulha no lixo
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/3/2009 | Setecidades
São Bernardo é a cidade mais atingida
São Bernardo foi a cidade mais castigada pela chuva torrencial que se precipitou sobre o Grande ABC no começo da tarde de ontem. O temporal causou alagamentos no Paço Municipal e em diversas ruas e avenidas do Centro, provocou quedas de energia, interrompeu parcialmente o transporte público e deixou diversos automóveis no pátio da Ford sob a água.

O índice pluviométrico registrado em duas horas no município - 152 milímetros - representa metade da chuva que atinge a Capital durante todo o mês de março, segundo o meteorologista Marcelo Pinheiro, do Climatempo. A média histórica de 40 anos é de 237 milímetros para todos os dias de março.

Na Avenida Lucas Nogueira Garcez e entorno, semáforos deixaram de funcionar. A queda de energia também atingiu o Departamento de Engenharia de Tráfego, que ficou cerca de duas horas às escuras.

Perto dali, no Shopping Metrópole, sobrecarregada pela água pluvial, uma tubulação rompeu e levou junto uma pequena parte do teto da praça de alimentação. Ninguém se feriu.

Próximo da divisa com Diadema, na região da Avenida Piraporinha, o córrego homônimo transbordou e o trânsito parou em ambos os sentidos da via. Na outra ponta da divisa, o Corredor ABD apresentou o mesmo problema e uma imensa fila de congestionamento se formou. Dos sete piscinões instalados no município, cinco transbordaram.

O coração comercial da cidade ficou debaixo d''água. A Avenida Brigadeiro Faria Lima e as ruas Jurubatuba, Marechal Deodoro e Santa Filomena ficaram alagadas. A água invadiu lojas, veículos e obrigou os pedestres, que se arriscaram na travessia, a experimentarem a sensação de atravessar um rio.

Por toda a cidade, pessoas ficaram ilhadas em postos de gasolina, pontos de ônibus e estabelecimentos comerciais. As avenidas Lions, Vergueiro e Caminho do Mar permaneceram travadas durante horas. Por volta das 17h, o bairro Rudge Ramos também ficou sem energia elétrica.

A auxiliar de serviço geral Marisete Pessoa Pereira, 46 anos, teve a casa, na Rua Carlos da Silva, alagada. "Os vizinhos foram tentar salvar minhas coisas", disse. Essa não foi a primeira vez que ela sofreu com enchente.

No fim da Rua Gheorghe Precupeanu, próximo à Avenida Doutor Rudge Ramos, um homem permaneceu alguns minutos em cima de um carro submerso. "Agora tem de esperar a água baixar para entrar dentro de casa", afirmou o torneiro mecânico Gentil Faustino, 39, que mora na Rua Maurício Jacquey. Ele, que trabalha em São Caetano, conta que atravessou a pé, com a água acima dos joelhos, uma das pontes que ligam os dois municípios.

O auxiliar administrativo, William Amorim, 22, calculou prejuízo de aproximadamente R$ 15 mil, que incluía uma moto e dois carros destruídos pela enchente.

Por André Vieira, Juliana Ravelli e Vanessa Fajardo - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
19/1/2018 | Atrium Shopping abre inscrições para aulas gratuitas de xadrez
19/1/2018 | Atrium Shopping traz show de mágica e oficinas
19/1/2018 | Mesmo fora de risco região se assusta com febre amarela
As mais lidas de Setecidades
17/1/2018 | Grande ABC registra primeira morte suspeita por febre amarela
18/1/2018 | Campanha de vacinação contra a febre amarela será antecipada no ABC
19/1/2018 | Adolescente negro relata racismo no Grand Plaza Shopping
As mais lidas no Geral
17/1/2018 | Mauá premiará quem pedir CPF na nota
18/1/2018 | Calendário PIS-Pasep 2017-2018: começa pagamento para nascidos em janeiro e fevereiro
17/1/2018 | Grande ABC registra primeira morte suspeita por febre amarela
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2018 - Desde 2003 à 5431 dias no ar.