NOTÍCIA ANTERIOR
Cidade da Criança reabre com cerca de 3 mil pessoas
PRÓXIMA NOTÍCIA
Avenida do Estado está totalmente abandonada
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/01/2010 | Setecidades
Rodoanel Leste ameaça aves
A construção do trecho Leste do Rodoanel Mário Covas, que cortará Mauá e Ribeirão Pires, ameaça 30 tipos de aves que estão na lista de extinção do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais). A denúncia é do Proam (Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental). O número é três vezes maior que o apontado no EIA-Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental) feito pela Dersa (Desenvolvimento Rodoviário SA), empresa responsável pela obra, que apontou a existência na região de dez espécies de aves ameaçadas.

De acordo com o presidente do Proam, Carlos Bocuhy, há ao menos outras 12 espécies que foram consideradas como ocorrência provável em dados secundários do relatório. O ambientalista informou ainda que mais oito espécies em extinção podem ser encontradas nas regiões, devido ao bioma e à represa Billings, e ficaram de fora do estudo, totalizando 30 tipos de aves ameaçadas. “A pesquisa foi realizada durante apenas dez meses, sendo que o indicado é fazê-la por um período mínimo de um ano, a fim de se considerar pássaros migratórios que passam apenas alguns meses num mesmo local”, explicou.

Para a Dersa, no entanto, o estudo levou o tempo necessário, de acordo com nota enviada ao ABCD MAIOR. A empresa explicou que considerou dados secundários e também pesquisas de campo para compor o EIA-Rima. A nota destacou ainda que os levantamentos específicos foram feitos de acordo com metodologia recomendada pelo Ibama e Secretaria do Meio Ambiente, em que são feitas amostragens durante as estações seca e chuvosa do ano.

A respeito do impacto à fauna na área do traçado proposto, a Dersa garantiu que será mínimo, uma vez que o trecho foi elaborado prevendo a menor intervenção possível em áreas de vegetação preservadas. A empresa ainda afirmou ter projeto detalhado das medidas de mitigação de impacto, que incluem afugentamento e resgate (antes e durante a liberação da frente de obras e construção da via), travessias de fauna e monitoramento contínuo, entre outros.

Bocuhy rebateu e afirmou que os estudos precisam dizer a verdade para a população, que deve julgar os benefícios e malefícios causados por uma obra do porte do Rodoanel. “Trata-se de um empreendimento baseado em combustíveis fósseis, cuja compensação ambiental prevista é ilusória. No caso das espécies ameaçadas, o dano é irreversível, pois se elas desaparecerem ou forem reduzidas drasticamente, é impossível recuperá-las”, ressaltou.

Entre as aves que estão na lista de extinção e foram encontradas no traçado do trecho Leste estão pavó, jacuaçu, gavião-pega-macaco, papagaio-verdadeiro, pica-pau-dourado e outras. Já entre as aves que não foram catalogadas pelo EIA-Rima e, conforme a Proam, podem ser encontradas nas regiões do traçado estão maçarico-pintado, gavião-pombo-pequeno, sabiá-cica e cigarra-verdadeira. Entre as espécies que podem ser encontradas na várzea do Tietê e Billings estão garça-real, gavião-asa-de-telha, carqueja-de-bico-manchado e maçarico-do-campo.

Por Camila Galvez - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
25/09/2018 | Acidente na Tibiriçá termina com vítima fatal
25/09/2018 | Santo André quer tombar 150 jazigos de cemitérios municipais
21/09/2018 | Região ganha 13 mil árvores em um ano
As mais lidas de Setecidades
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6286 dias no ar.