NOTÍCIA ANTERIOR
Cidade da Criança não abre às terças-feiras em agosto e setembro
PRÓXIMA NOTÍCIA
Obra emergencial da Sabesp está parada em Rio Grande
DATA DA PUBLICAÇÃO 11/08/2015 | Setecidades
Recém-nascido é encontrado morto em córrego de São Bernardo
Recém-nascido é encontrado morto em córrego de São Bernardo Foto: André Henriques/DGABC
Foto: André Henriques/DGABC
O corpo de um recém-nascido do sexo masculino foi encontrado, na manhã de ontem, no Córrego Saracantan, na Avenida Peri Ronchetti, altura do número 1.251, bairro Nova Petrópolis, em São Bernardo. O saco plástico onde o bebê foi colocado foi localizado por funcionários que trabalhavam nas obras de canalização do local. A criança ainda estava com o cordão umbilical e com a placenta, além de apresentar corte nas costas.

O primeiro trabalhador a avistar o saco de lixo azul foi um haitiano. Ele teria mostrado o bebê para os demais operários da obra, que desacreditaram da cena. O engenheiro Márcio Carvalho dos Santos, 30 anos, que trabalha na empresa responsável pelas obras de canalização do córrego, foi quem acionou a PM (Polícia Militar) e o Corpo de Bombeiros. Ao chegarem no local, as equipes de resgate retiraram o corpo do recém-nascido do rio já sem vida.

A brutalidade do crime chocou todos que acompanharam a triste cena. Inclusive a delegada titular do 6º DP de São Bernardo, Katia Regina Cristofaro Martins. Ela afirmou que o ocorrido é o tipo de acontecimento que a faz perder a fé na humanidade. “Em casos de abandono de bebês, até rezo para não encontrarmos os pais, pois sabemos que as crianças serão adotadas por famílias que realmente querem ter filhos. Mas nesta situação é diferente, quero muito achar a mãe, pois o que ela fez é indescritível.”

A delegada detalhou que tentará identificar o responsável por jogar o recém-nascido no córrego por meio das câmeras de segurança instaladas ao longo da área. “Há muitos equipamentos com visão para a avenida (Peri Ronchetti), espero que com a ajuda deles seja possível encontrar a pessoa que fez isso.”

Visivelmente indignada, Regina contou que não há explicações para o ocorrido. “Hoje há diversos métodos contraceptivos, além disso, nada explica esta ação. Nem os animais matam os próprios filhos. Chamar uma pessoa violenta de animal é uma grande injustiça. Na verdade, é um monstro.”

Por Nelson Donato - Especial para o Diário
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
25/09/2018 | Acidente na Tibiriçá termina com vítima fatal
25/09/2018 | Santo André quer tombar 150 jazigos de cemitérios municipais
21/09/2018 | Região ganha 13 mil árvores em um ano
As mais lidas de Setecidades
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6195 dias no ar.