NOTÍCIA ANTERIOR
Projeto renova contrato para o incentivo ao esporte em Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
Câmaras de Diadema e Mauá devolvem R$ 2,2 mi
DATA DA PUBLICAÇÃO 28/12/2017 | Cidade
PT de Mauá ainda paga indenização por acidente
Fora do comando da Prefeitura de Mauá e com um único filiado com mandato na Câmara (Marcelo Oliveira), o PT mauaense tem que contar as moedas para pagar indenização vitalícia em razão de condenação judicial após acidente fatal provocado durante a eleição de 2000 na cidade.

No pleito daquele ano, um ato de campanha eleitoral da sigla entrou como responsável pelo atropelamento do pedreiro Ailton Barbosa de Castro, que foi atingido por veículo quando tentava atravessar a Avenida Castelo Branco, no Jardim Zaíra. Na ocasião, militantes petistas faziam panfletagem e bandeiraço no trevo da via com a Barão de Mauá quando um caminhão atingiu Castro. O motorista alegou que não viu o pedestre por conta das bandeiras. Castro chegou a ser socorrido, mas não resistiu. A atividade foi atribuída à campanha do então vereador Wagner Rubinelli (hoje no PCdoB), atual secretário de Trabalho do governo Atila Jacomussi (PSB). Ele citou que os militantes trabalhavam para o partido e não para ele – foi retirado do processo por falta de provas.

A princípio, a Justiça de Mauá condenou o diretório petista local a pagar indenização de cerca de R$ 300 mil, além de pensão vitalícia no valor de R$ 1.150 à família da vítima. Os envolvidos recorreram da pena e, em 2012, o Tribunal de Justiça confirmou a sentença e chegou a bloquear a conta da legenda por insuficiência de recursos no banco. O valor da indenização foi dividido em uma centena de parcelas.

Atualmente, o partido conta com a ajuda dos filiados para custear aproximadamente R$ 3.700 todo mês. “Nós fazemos atividades mensais para ajudar na contribuição do PT com a doação para pagar essa conta. Promovemos feijoadas, noites da pizza e porco no rolete”, alegou o presidente do PT de Mauá, Getúlio Júnior, conhecido como Juninho. O mandatário da sigla explicou ainda que, por conta dessa dívida, a legenda não consegue custear outras despesas. “O PT de Mauá não pode pagar um funcionário, por exemplo, para atender as pessoas e deixar o diretório aberto todos os dias. Poderíamos também manter um jornal mensal e também não podemos manter. Então, tem diversas dificuldades por conta desse débito do processo”, frisou.

Por Junior Carvalho - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6293 dias no ar.