NOTÍCIA ANTERIOR
Oscar Filho e Nany People se apresentam no Teatro Municipal de Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
STJ impede empresa de assumir transporte municipal em Mauá
DATA DA PUBLICAÇÃO 25/07/2012 | Cidade
Prefeituráveis de Mauá elegem saúde como problema crônico
ABCD MAIOR dá início a série de reportagens com planos de governo dos candidatos às prefeituras do ABCD

O ABCD MAIOR inicia nesta terça-feira (24/07) uma série de reportagens através das quais o leitor poderá ter um contato maior com as principais propostas dos candidatos a prefeito das sete cidades do ABCD. A reportagem ouviu os prefeituráveis e os estimulou a apontar seus planos para o que entendiam ser as três principais prioridades de cada um dos municípios.

A série tem início com Mauá. Após mais de duas semanas fazendo o tradicional corpo a corpo nas ruas, os oito candidatos à Prefeitura do município elegeram a saúde pública como um dos problemas mais crônicos.

De acordo com os candidatos, trata-se do serviço com maior incidência de crítica dos eleitores no dia-a-dia, e que aparece nas pesquisas de qualificação feitas pelas campanhas como o principal desafio a ser superado.

Com base em dados da Prefeitura, o município estima investir neste ano R$ 189 milhões na rede, e prevê receita para 2013 de R$ 227 milhões. A atual gestão do prefeito Oswaldo Dias (PT) apostou na reestruturação da rede por meio da contratação da Fundação do ABC (que faz a gestão dos equipamentos e médicos), e na descentralização do atendimento de emergência do Hospital Dr. Radamés Nardini, que passou a ser atendido nas quatro UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) recém-inauguradas na cidade com aportes do governo federal.

Em março, o Ministério da Saúde divulgou resultados do Idsus (Índice de Desempenho do SUS) e classificou o atendimento de Mauá com nota de 4,61, dentro de uma escala que vai de 0 a 10. A média dos municípios brasileiros foi de 5,47.

Além disso, os candidatos mencionaram propostas para melhorar o transporte público, a educação, segurança pública e geração de emprego e renda.

O próximo município da série Eleições 2012 será São Caetano, a ser publicada na edição da próxima quinta-feira (26/07).

Átila Jacomussi (PPS)
O candidato do PPS pretende investir na área de Saúde com o remodelamento do sistema. “Queremos unificar e integrar as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) com as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) para termos grupos de unidades funcionando 24 horas”, disse. A intenção de Átila Jacomussi também é instalar o Poupatempo da Saúde, que abrigará o centro de tratamento da mulher e do idoso, e dos tratamentos dos cânceres de mama e próstrata. No hospital Dr. Radamés Nardini, o socialista quer instalar um posto de alto atendimento só para vítimas de acidentes e assaltos.
Outra intenção de Jacomussi é investir nas creches para beneficiar mulheres que trabalham e crianças em estado de vulnerabilidade social. “Para isso, queremos abrir convênios com creches particulares para elas atenderem até 30% das vagas.”

Na área da Educação, o candidato afirma que vai lutar para a UFABC (Universidade Federal do ABC) ser construída na cidade, e batalhar pela construção de três CEUs (Centros de Educação Unificada). Para os jovens. Jacomussi quer estabelecer a cidade digital com pontos de acesso à internet por toda a cidade. Com relação ao transporte público, a intenção de Jacomussi é construir novos miniterminais nos bairros.

Donisete Braga (PT)
Dentro das diretrizes de governo do candidato do PT, Donisete Braga, a intenção é dar prioridade para o desenvolvimento econômico e priorizar o potencial industrial do Polo Sertãozinho. “E também dos setores de plástico e borracha que estão ligados à indústria petroquímica e à Refinaria de Capuava”, disse.

O petista quer gerar emprego e recuperar as receitas. “Para nós, essa proposta pioneira, que é a recuperação de receitas (oriundas do refino de petróleo) de R$ 167 milhões que Mauá deixa de arrecadar, esses recursos vão para São Caetano e Barueri”. O segundo item destacado por Donisete é a mobilidade urbana, que é o transporte público integrado, bilhete único para ônibus e trem, além da construção de duas marginais. Outra intenção de Donisete Braga é expandir as ciclofaixas da cidade, que tem o maior bicicletário da América Latina. “Temos de pensar numa rede de Saúde informatizada para aperfeiçoarmos os recursos, e, assim, podemos garantir um atendimento mais qualificado”, afirmou. O petista também afirmou querer fazer o que Marta (ex-prefeita Marta Suplicy) fez na Capital: a entrega dos medicamentos para hipertensos e diabéticos. “Isso evita o desperdício e faz o uso ser mais racionalizado”, disse.

Diniz Lopes (PR)
“Fundamental é Mauá investir na saúde, na saúde, e na saúde.” É com essa afirmação que Diniz Lopes aponta a principal prioridade de seu plano de governo. O candidato do PR não poupa críticas à Administração e afirma que não há falta de dinheiro. “Nesse ano estão sendo gastos quase 40% do orçamento, cerca de R$ 200 milhões. O problema não é dinheiro. Eu acho que houve uma falha na descentralização dos atendimentos de emergência, que saíram do Hospital Nardini e foram para as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), só que não conseguiram colocar médicos nas quatro UPAs”, disse.

A proposta de Diniz Lopes é também construir ao lado do Nardini um grande Pronto-socorro Municipal. “Essa descentralização foi um grande equívoco, por causa da falta de médicos. Não adianta ter unidades de saúde do lado de casa, e os pacientes não encontrarem atendimento”, afirmou. O candidato do PR também faz questão de lembrar o período em que foi prefeito. “Nesse período, por exemplo, a cidade tinha 15 médicos no Nardini, e eu aumentei esse efetivo para 27 médicos. Isso fez com que o tempo das consultas caísse para 20 minutos.”

Edmar da Reciclagem (PSDB)
Edmar da Reciclagem é outro candidato que aponta a saúde como prioridade. “Temos de arrumar um jeito para corrigirmos esses serviços. E faremos isso com ajuda do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Já conversei com ele para pensarmos na construção de um hospital do porte do Mário Covas, de Santo André. A cidade tem um grande número de habitantes e não tem uma saúde de qualidade”. O candidato tucano também afirma que nas ruas tem escutado da população queixa com relação a dificuldade com atendimentos de emergência e especialidades. “O segundo passo é arrumarmos um jeito de atendimentos às mais de 4 mil crianças que esperam vagas em creches, eu creio que é possível zerar esse déficit com parcerias nas escolinhas particulares”, afirmou. Edmar aponta, ainda, preocupação com a questão da mobilidade urbana. “Temos de pensar em modelos alternativos e novas vias”, disse. Na área de segurança, o tucano aposta no aumento do efetivo da Guarda Civil Municipal para estabelecer uma central de videomonitoramento. “Os comerciantes precisam de mais segurança”, disse Edmar, que também quer trazer uma escola de ensino técnico para o polo sertãozinho.

José Silva (Psol)
O primeiro objetivo do candidato do PSOL, José Silva, é a formação de um conselho popular com diversas assembleias nos bairros, para descentralizar o governo pensando em todos os segmentos da sociedade. “Não vamos fazer um governo tomando decisões no gabinete. Nossas ações estarão voltadas para a saúde preventiva, porque a saúde curativa dá muito lucro para os laboratórios”, disse.

José Silva também quer estruturar as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) com médicos, além de “fazer funcionar o que já temos”. O candidato também quer rever os contratos com os remédios para saber se estão condizentes com o mercado. “Entendemos que saúde preventiva diz respeito a algumas questões, como a qualidade do transporte público, alimentação correta, e atendimento psicológico e terapia alternativa.”

Silva afirmou que mais de 80% das doenças físicas existentes são de cunho psicológico, e que é preciso curar a mente das pessoas. “O poder público peca muito por não oferecer uma terapia alternativa. Temos de investir mais em saneamento básico, porque como uma pessoa que vive com esgoto na porta de casa pode ter uma vida saudável.” Outra proposta é a de que o esgoto terá de ser tratado 100% até 2014.

Ozelito José Benedito (PTB)
Na opinião do petebista Ozelito José Benedito, o problema número um da cidade é a Saúde. “Hoje para a pessoa passar no clínico, por exemplo, e ser encaminhada para exames e especialistas, não vai fazer isso em menos de um ano. Nossa proposta é fazer uma espécie de poupatempo da Saúde, e de repente podemos centralizar esse atendimento no AME (Ambulatório Médico de Especialidades)”, afirmou. O candidato disse que ouve muitas queixas de moradores sobre a demora de marcação de consultas e exames na rede pública. “Na educação infantil Mauá tem um déficit de mais de 4 mil vagas. Queremos trabalhar essas vagas de creches através de parceria com as entidades já existentes no município.”

Outra proposta do petebista é a de ter uma escola técnica municipal para trabalhar a mão de obra dos moradores de Mauá com mais qualificação. Para a área de segurança, Ozelito propõe o monitoramento de todos os eixos comerciais, das partes das escolas, e unidades de saúde. “Um modelo semelhante ao de Indaiatuba, onde há segurança feita com base no monitoramento e valorização da Guarda Civil Municipal. A população precisa se sentir mais segura.”

Paulo Bio (PV)
O candidato do PV, Paulo Bio, diz que trabalha com os eixos da proposta de cidade sustentável em todas as ações de governança. “Na saúde, por exemplo, nossa visão é a ação preventiva com esportes, lazer, cultura, saneamento básico, somado a questões fundamentais como médicos e remédios nos hospitais. Temos de levar em consideração esse aspecto da sustentabilidade, para termos políticas mais efetivas”, afirmou.

O verde afirma querer criar espaços para o empreendedor investir mais. Para isso, na opinião de Bio, a Prefeitura precisa ser um facilitador para comerciantes, não os tratando com rigor excessivo e nem a bagunça, “onde amigo pode tudo”. Paulo Bio também afirma que o município precisa potencializar suas características mais importantes, como o Polo Sertãozinho, que precisa ser qualificado com mais emprego e renda. “Hoje existe a dificuldade de os empreendedores conseguirem certidões, documentos na Prefeitura, porque não há um sistema informatizado”, disse.

Paulo Bio também afirmou que quando foi secretário de Desenvolvimento conseguiu aprovar a Lei Geral, mas a legislação não foi colocada em prática.

Vanessa Damo (PMDB)
A candidata do PMDB, Vanessa Damo, diz que pretende implantar mais cinco novas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) nas principais regiões da cidade, equipadas e com médicos, para fazer com que pelo menos em cinco unidades o atendimento seja feito durante 24 horas. “Além disso, queremos reabrir a Santa Casa para atendimentos do SUS (Sistema Único de Saúde), e vamos fazer um convênio municipal gratuito.” A intenção de Vanessa é fazer a integração de dados e informatização de todas as unidades de atendimento médico, para o atendimento ser mais dinâmico.

A peemedebista também afirmou que, com essa informatização, a central de regulação de vagas da Prefeitura poderá fazer com que o paciente tenha um atendimento mais rápido. “Quem espera tanto tempo por uma consulta e exame tem um agravamento em seu estado de saúde. Se houver esse sistema organizado, quando o paciente não conseguir uma vaga nos equipamentos públicos, a Prefeitura pode encaminhá-lo para outros equipamentos, como o AME (Ambulatório Médico de Especialidades), ou pagar consultas em redes conveniadas”. A candidata também quer melhorias nos transportes públicos.

Por Rodrigo Bruder - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2021 - Desde 2003 à 6799 dias no ar.