NOTÍCIA ANTERIOR
PMs ignoram ação de ladrão dentro de loja no litoral de SP
PRÓXIMA NOTÍCIA
Presos dois suspeitos de vender arma a atirador de escola
DATA DA PUBLICAÇÃO 08/04/2011 | Geral
Prefeitura de SP autoriza início das obras de shopping na Avenida Paulista
A Prefeitura de São Paulo concedeu em março deste ano a autorização para o início das obras de um novo shopping que será construído na esquina da Avenida Paulista com a Rua Pamplona. Empreendimento da Camargo Corrêa e da Cyrela Commercial Properties (CCP), a nova torre deve ter 13 pavimentos de escritórios, cinco pisos de shopping e sete subsolos, com cerca de 1.600 vagas de estacionamento cobertas.

A área total do terreno, onde ficava a mansão da família Matarazzo, é de 13 mil metros quadrados. Segundo a Prefeitura, a área construída autorizada fica em cerca de 50 mil metros quadrados – pela lei, é permitida a construção de quatro vezes a área do terreno. O alvará de aprovação foi publicado no Diário Oficial em dezembro de 2010 e o alvará de execução, que autoriza o início das obras, em 24 de março deste ano.

As construtoras dizem que, apesar da autorização, ainda não há uma previsão para o início das obras da nova torre. O escritório responsável pelo projeto é o Aflalo & Gasperini Arquitetos Associados. O shopping deve contar com 170 lojas, 15 lanchonetes, sete restaurantes, seis salas de cinema e um teatro.

Como o empreendimento deve aumentar o volume de veículos na região, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) indicou, ao conceder a licença, obras e serviços de sinalização para reduzir o impacto no trânsito. Entre as obras necessárias está o alargamento de um trecho das ruas São Carlos do Pinhal e Pamplona. Além disso, os responsáveis pela nova torre terão que implantar e revitalizar a sinalização horizontal e vertical na região e os equipamentos semafóricos.

De acordo com a lei, os custos das medidas para reduzir o impacto na região – que envolvem projeto, equipamento, remoção de interferências e mão de obra – não devem ser inferiores a 1% do valor do empreendimento nem ultrapassar os 5%. O empreendimento também recebeu licença da Secretaria do Verde e Meio Ambiente. Como forma de compensação ambiental, será necessário plantar 106 mudas no interior do terreno e 621 no Parque Trianon, na mesma avenida, para revitalização da área.

História do terreno
Em 2007, a Camargo Correa e a Cyrela compraram o terreno, onde antes existia a mansão Matarazzo, por cerca de R$ 130 milhões. Construída em 1896 para servir de residência ao conde Francisco Matarazzo, a mansão foi projetada pelos italianos Giulio Saltini e Luigi Mancini.

Em 1990, a mansão passava por processo de tombamento pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). Porém, antes do tombamento definitivo, houve uma explosão de uma bomba no porão que comprometeu a estrutura do imóvel. O tombamento acabou cancelado por uma decisão judicial e a mansão, demolida. Um estacionamento começou a funcionar no endereço. Segundo o Conpresp, não há mais nada tombado no terreno.

Por G1, em São Paulo
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Geral
25/09/2018 | Golpe do ''motoboy'' é o crime da moda
25/09/2018 | Há quatro meses faltam medicamentos no SUS
25/09/2018 | Redução de pressão de água é eficaz, mas exige medidas, diz professor
As mais lidas de Geral
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6335 dias no ar.