NOTÍCIA ANTERIOR
Calote faz Eletropaulo cortar luz de prédios públicos em Santo André
PRÓXIMA NOTÍCIA
AES Eletropaulo corta luz em Ribeirão Pires
DATA DA PUBLICAÇÃO 23/11/2016 | Política
Prefeitura de Santo André paga conta e luz é religada
O governo do prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), formalizou ontem, por meio do Diário Oficial, o pagamento de parte das faturas em atraso, no valor de R$ 682,8 mil, com a AES Eletropaulo, o que resultou na retomada do fornecimento de energia elétrica nos quatro equipamentos públicos (Estádio Bruno Daniel, Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia, depósito da Secretaria de Serviços Urbanos na Rua Tamarutaca e prédio administrativo na Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo) afetados pelo atraso. Segundo a concessionária, o impasse financeiro se arrastava desde maio.

O montante negociado representa 13% do total do passivo, que atingia patamar de R$ 5,3 milhões. Pela recorrente dificuldade no fluxo de caixa, a gestão petista oficializou a quebra de ordem cronológica – medida adotada também junto a outros fornecedores após o Paço enfrentar grave crise nas contas –, registrando 20 ordens de pagamento em favor da empresa.

A equipe do Diário voltou ontem aos locais onde havia acontecido a interrupção de energia e constatou a normalização do sistema, executado por conta do repasse de parcela dos débitos pendentes e indicação de novo pacto firmado entre os envolvidos. “Após pagamento de contas mais antigas, por parte da Prefeitura, a concessionária religará a energia ainda hoje (ontem). Para a quitação do restante da dívida, foi feito um acordo”, informou, por nota, a AES Eletropaulo, sem dar detalhes do conteúdo do atual ajuste. A empresa afirmou anteontem que o governo não cumpriu os termos das tratativas anteriores, provocando na medida tomada na cidade, considerada equivocada pelo Paço.

A Prefeitura, por intermédio da Secretaria de Finanças, sustentou que mantém rigorosamente pagamento de 80% de consumo de energia dos equipamentos públicos e de iluminação pública – são 53 mil pontos. “O saldo pendente, embora em negociação, culminou no corte no fornecimento de energia, situação já restabelecida”. Grana reforçou que o governo paga a AES Eletropaulo todo mês, reiterando a quitação do percentual de 80% da fatura. “Os outros 20% estão em negociação, até porque a empresa tem dívida com a Prefeitura. Estamos reurbanizando a área da (extinta favela) Gamboa, que pertence à Eletropaulo, que não paga nada para a gente. Estamos até contestando isso na Justiça. Estamos há seis meses negociando esses valores. Por isso, não há dívida, porque há renegociação.”

Com essa argumentação , o petista justificou que o “calote é da Eletropaulo, que não paga pelo serviço realizado até agora na Gamboa”. “Estamos favorecendo 820 famílias, dando moradia digna. O corte foi precipitado e teve cunho político. Tanto é que restabeleceram (a energia) um dia depois. Foi medida arbitrária”, conclui Grana.

De acordo com dados coletados no Portal da Transparência, no ano, a AES Eletropaulo já emitiu notas que chegam a R$ 23,46 milhões. O governo quitou R$ 18,73 milhões, o que corresponde a 79,8% do total. A dívida, portanto, de R$ 5,3 milhões, ontem estava recalculada em R$ 4,7 milhões. Por outro lado, a fatura do mês de outubro foi de R$ 2,43 milhões e o Paço pagou R$ 1,5 milhão, representando 61% do montante cobrado pela concessionária.

(Colaborou Raphael Rocha)

Por Fábio Martins - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Política
25/09/2018 | Bolsonaro inicia dieta branda e faz caminhada fora do quarto, diz boletim
21/09/2018 | Bolsonaro diz nunca ter cogitado volta da CPMF e fixa postagem no seu Twitter
20/09/2018 | Ibope: Em São Paulo, Bolsonaro se isola com 30% das intenções de voto
As mais lidas de Política
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6194 dias no ar.