NOTÍCIA ANTERIOR
São Paulo pode ter reforços de fora, avisa Ney Franco
PRÓXIMA NOTÍCIA
Meia Maratona segue com inscrições abertas
DATA DA PUBLICAÇÃO 11/07/2012 | Esportes
Por fim de jejum, Palmeiras repete estilo da Libertadores-99
SPFW 2012 O Palmeiras que pode ser campeão nesta noite é um time de muita transpiração, que construiu poucas jogadas plásticas, passou por momentos de sufoco e tem uma arma letal, a bola parada.

A descrição se refere à equipe que pode se sagrar hoje campeã da Copa do Brasil sobre o Coritiba e encerrar assim um jejum de 12 anos do clube sem títulos nacionais.

Mas poderia ter sido publicada no dia 16 de junho de 1999, em texto sobre o grupo do Palmeiras que levantaria horas mais tarde a Libertadores ao derrotar nos pênaltis o colombiano Deportivo Cali.

Treze anos após levar o clube ao maior título de sua história, o técnico Luiz Felipe Scolari recriou o estilo de jogo que venceu a América.

A qualidade não é a mesma. Jogadores de seleção, casos de Júnior Baiano, César Sampaio, Alex e Zinho, foram substituídos por nomes quase desconhecidos, como João Vitor, Mazinho e Betinho.

Dos 22 gols marcados pelo melhor ataque desta edição da Copa do Brasil, nove (41%) tiveram origem em cobranças de falta, pênalti e escanteio.

Na Libertadores de 1999, a dependência era maior ainda. Treze dos 24 tentos (45%) que fizeram do Palmeiras campeão sul-americano nasceram de bolas paradas.

A ponto de o artilheiro do time no torneio ter sido um zagueiro bom de cabeça, Júnior Baiano, com cinco gols.

Foi na bola parada que o Palmeiras venceu o Coritiba por 2 a 0, na quinta passada, e abriu vantagem na final.

Jogando mal, o time paulista saiu na frente em cobrança de pênalti. Que nasceu de falta cobrada por Marcos Assunção, o Arce de 2012. A jogada se repetiu no segundo gol, uma bola desviada de cabeça por Thiago Heleno.

É graças à arma de 1999 que o Palmeiras conquistará sua segunda Copa do Brasil mesmo se perder por dois gols de diferença no Couto Pereira. Só um novo 2 a 0, mas favorável ao Coritiba, leva a decisão para os pênaltis.

"A gente vem jogando de uma forma, e as coisas estão acontecendo. Não é hora de mudar. Só a determinação que vai ser maior", afirmou o zagueiro e volante Henrique.

Dois anos depois de voltar ao Palmeiras e ser metralhado pela falta de resultados, Scolari enfim pode ter motivos para festejar. Graças à sua velha amiga, a bola parada.

Por Marcel Rizzo e Rafael Reis, de São Paulo - Folha Online
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Esportes
21/09/2018 | Tite convoca Pablo, Walace e Malcom para duelos contra Arábia Saudita e Argentina
20/09/2018 | Real Madrid atropela a Roma por 3 a 0 e inicia bem a luta pelo tetracampeonato
18/09/2018 | Jogador de vôlei que jogou em Santo André é encontrado morto na Espanha
As mais lidas de Esportes
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6188 dias no ar.