NOTÍCIA ANTERIOR
Burocracia para legalização de comércios é reduzida em Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
Christian Pior traz comédia stand up ao ABC
DATA DA PUBLICAÇÃO 10/02/2010 | Cidade
Petista quer barrar Rodoanel
Integrante da base aliada ao governo Oswaldo Dias (PT) em Mauá, o vereador Paulo Suares (PT) protocolou ontem na Câmara um projeto de lei para minar as ações do Rodoanel Mário Covas, principal obra em andamento do governo do Estado.

O objetivo do petista é limitar a passagem de veículos pesados como carretas e caminhões pelo município por um determinado horário a ser definido via decreto - algo entre 6h e 20h, semelhante ao que ocorre na Capital. "A malha viária de Mauá não foi feita para o trânsito pesado e, além disso, teremos trânsito de outras regiões", disse o vereador.

A proposta de Suares, que também é o primeiro secretário do Legislativo municipal, é evitar o tráfego de carretas e caminhões nas principais vias da cidade (avenidas Papa João XXIII, João Ramalho,Alberto Soares Sampaio, Ayrton Senna, Capitão João, Rosa Kasinski e o Viaduto Juscelino Kubitschek), pelo menos, até agosto.

No fim de março, está prevista a inauguração do Trecho Sul do Rodoanel, sem que a ligação entre a obra do governo do Estado e a Avenida Jacu Pêssego, que dará acesso direto entre Mauá e São Paulo esteja concluída.

O projeto, que deverá ser colocado em votação a partir da semana que vem, no entanto, tem problemas no texto. Na matéria, o parlamentar determina que a responsabilidade por fiscalizar as vias do município será da Secretaria de Mobilidade Urbana.

Na avaliação do advogado especialista em Direito Público Alberto Rollo, há, neste ponto, inconstitucionalidade. "Ele pode dizer que não pode passar caminhão, mas como fazer compete à Prefeitura", pontuou o jurista.

POLÍTICA - O projeto de Suares foi considerado pela oposição como "politicagem". Vale lembrar que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), deve ser candidato à sucessão presidencial.

Soma-se a isso o fato de o Rodoanel ser objeto disputa entre PT e PSDB. Enquanto os tucanos alegam a criação e execução do projeto, os petistas dizem que o governo federal contribuiu com investimentos para a obra.

Vereadores aprovam criação de 21 cargos comissionados

Como já era esperado, os vereadores de Mauá aprovaram ontem em definitivo a criação de 21 cargos comissionados no Executivo. O placar da votação foi o mesmo da semana passada, quando a peça foi discutida pela primeira vez: 13 a 4.

Os novos postos serão destinados para a Secretaria de Assistência Social - que é comandada pela mulher do prefeito Oswaldo Dias (PT), Celma Dias - e para a Ouvidoria Geral do Município, que não está operando.

Os 21 novos cargos estão distribuídos da seguinte forma: um coordenador, sete de diretor de departamento e 13 para assessoria. O ônus que o projeto trará aos cofres do Executivo será de R$ 56 mil anuais, de acordo com o vereador Manoel Lopes (DEM), um dos críticos do projeto de Dias.

Os governistas defendem que a criação dos cargos é necessária para adequar a estrutura funcional das secretarias a normas federais, tornando possível, assim, a celebração de convênios. Outro motivo apresentado é que os cargos seriam preenchidos em um segundo momento, por meio de concurso público.

Para a oposição, a medida foi para "abrigar amigos" de Dias no Paço.

Por Matheus Adami - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2022 - Desde 2003 à 7054 dias no ar.