NOTÍCIA ANTERIOR
Trabalhador se diz coagido a contribuir com o sindicato
PRÓXIMA NOTÍCIA
Nova lei trabalhista faz desaparecer ações por danos morais e insalubridade
DATA DA PUBLICAÇÃO 29/03/2018 | Economia
Páscoa mais saudável e consciente
Páscoa mais saudável e consciente Foto: Agência Brasil / DGABC
Foto: Agência Brasil / DGABC
Dar ovos de chocolate é uma das práticas mais comuns durante as celebrações da Páscoa. Com a enorme oferta que existe no mercado, é preciso prestar muita atenção nas informações e na qualidade dos produtos na hora de fazer as compras.

Para além das embalagens cada vez mais bonitas e atraentes, é possível verificar importantes informações sobre os ovos em seus rótulos.

A lista de ingredientes, por exemplo, apresenta os itens em ordem decrescente, ou seja, o primeiro a aparecer é o que está presente em maior quantidade, e o último, em menor.

Sendo assim, se o açúcar estiver logo no início da lista, fique atento: esse é um sinal de alerta para seu excesso. Já quando o cacau aparece primeiro – e não sua manteiga e licor, por exemplo –, isso significa que o chocolate tem boa qualidade.

Além disso, confira se aparecem muitos aditivos, como aromatizantes, corantes, emulsificantes e conservantes. Esses produtos são substâncias químicas feitas em laboratório, bastante utilizadas nos alimentos ultraprocessados. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, não se sabe o efeito a longo prazo dos aditivos sobre a saúde, mas os alimentos feitos com estes componentes podem contribuir para aumentar o risco de deficiências nutricionais.

Não se esqueça de checar a data de validade dos produtos e, no caso dos ovos, verifique não só o número, mas também o peso.

Ovos de Páscoa com personagens e brindes caracterizam publicidade infantil e representam uma violação à legislação, de acordo com o CDC (Código de Defesa do Consumidor), o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e a resolução 163 do Conanda (Conselho Nacional da Crianças e do Adolescente).

Em uma pesquisa feita pelo Idec em 2016 com 68 ovos de Páscoa, foram encontradas 245 irregularidades que violam a legislação de publicidade para criança, que considera abusivas as práticas que aproveitam da deficiência de julgamento e experiência dos pequenos para utilizar personagens, cores fortes, brindes e formatos atrativos.

A venda de ovos com o chocolate e o brinquedo juntos, sem que o consumidor tenha opção de comprá-los separadamente, também é proibida e é considerada ‘venda casada’. Além disso, a oferta excessiva, com muitas variedades, personagens infantis e brinquedos dentro dos ovos é um estímulo ao consumo exagerado.

Analise se vale a pena investir em ovos de Páscoa em vez de chocolate ou outro alimento mais saudável que pode ser presenteado durante a data. Compare o preço dos produtos e faça uma pesquisa entre lojas e supermercados.

A pesquisa de Páscoa do Procon-SP de 2018 comparou 172 itens em dez estabelecimentos comerciais do município e identificou uma enorme diferença entre o preço dos produtos.

Tomando como base o valor médio do quilo, o ovo de Páscoa com brindes está custando em média R$ 289,90. Já o sem brinquedos está R$ 144,52, enquanto o quilo da barra está saindo a R$ 44,77. A maior diferença encontrada entre os ovos de Páscoa foi de 91,24%.

O principal ingrediente dos chocolates industrializados é o açúcar, portanto, evite o consumo excessivo. O açúcar em grande quantidade causa ganho de peso, que pode evoluir para obesidade, diabete, doença cardíaca, entre outros problemas de saúde que atingem todos os consumidores, principalmente as crianças.

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, os alimentos ultraprocessados possuem um baixo teor nutricional e seus componentes têm formulações que garantem um sabor muito acentuado, que estimula o consumo.

Dê preferência para ovos de Páscoa feitos por pessoas de sua confiança. Assim, além de valorizar o trabalho e economia local, você pode conferir a procedência dos ingredientes. É importante ressaltar que ovo artesanal tem a vantagem de ser produzido em pequena escala, então as chances de terem aditivos alimentares em sua composição são menores.

Uma outra opção é preparar os doces da Páscoa em casa. Se você tem crianças, esse é um ótimo exercício para estimular o seu vínculo com elas e fazer com que conheçam a origem dos alimentos. Assim, podem ser preparados doces exclusivos, não necessariamente de chocolate, e com uma menor quantidade de açúcar.


Por Idec
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6195 dias no ar.