NOTÍCIA ANTERIOR
Seleção de vôlei inicia luta por fim de jejum na estreia da 'era' Renan Dal Zotto
PRÓXIMA NOTÍCIA
Troféu Brasil reúne nata do atletismo em São Bernardo
DATA DA PUBLICAÇÃO 05/06/2017 | Esportes
Palmeiras perde pênalti, empata sem gols com Atlético-MG e é vaiado pela torcida
Palmeiras e Atlético Mineiro empataram por 0 a 0 neste domingo, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, e continuam patinando no Campeonato Brasileiro. Depois de duas derrotas, o time paulista completou o terceiro jogo sem vitória e soma quatro pontos após quatro rodadas. O mineiro também está na parte de baixo da tabela de classificação, com três. O clube da casa esteve mais perto da vitória, mas perdeu um pênalti com Willian - foi o segundo desperdiçado em dois jogos. No final, vaias da torcida.

Depois de afirmar que o time titular do Palmeiras de 2017 era pior que o do ano passado e de sofrer duas derrotas no Brasileirão, Cuca decidiu mudar o time titular. A principal alteração foi a saída de Felipe Melo para a entrada da Thiago Santos. Contratado no início do ano para deixar a equipe mais cascuda para a Copa Libertadores, o volante compromete o dinamismo do meio de campo. O treinador também barrou o lateral-esquerdo Zé Roberto (o escolhido foi Egídio) e ainda testou Keno no lugar de Borja no ataque. Dudu e Jean foram desfalques por problemas físicos.

Com esta nova formação, o Palmeiras trocou, a grosso modo, a técnica pela velocidade e pela vibração. Aceso e combativo, o time alviverde conseguiu fazer uma marcação pegajosa e impediu os mineiros de colocar a bola no chão. Individualmente, a mudança mais positiva foi a entrada de Keno. Além de criar uma opção interessante de velocidade pelo lado esquerdo, o jogador de 27 anos mostrou porque foi o melhor driblador do Campeonato Paulista mesmo sendo reserva. Com habilidade, ele desmontou o eficiente esquema defensivo dos mineiros e finalizava com perigo. A jogada mais importante aconteceu logo aos 16 minutos, quando Keno finalizou no travessão depois de uma jogada bem tramada, com a bola de pé em pé.

Sempre melhor, o Palmeiras teve a sua grande chance no final do primeiro tempo. O árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti, indicando empurrão de Fred no zagueiro Edu Dracena. Na cobrança, Willian bateu e o goleiro Victor defendeu. Foi o segundo pênalti que Victor defendeu de Willian - o primeiro havia sido em 2015, no clássico mineiro, quando o palmeirense atuava pelo Cruzeiro.

O jogo teve um destaque negativo. Times com elencos tão valiosos e com tantos recursos técnicos não podem dar tantos chutões. Os dois abusaram da ligação direta e "pulavam" o meio para chegar ao ataque. Ao menor de sinal de pressão, os zagueiros esticavam o chute longo. Os dois times estão errando passes em momentos importantes para o prosseguimento das jogadas. Isso faz a bola não chegar tanto quanto deveria aos ataques, apesar de boas chances criadas de ambos os lados.

No início do segundo tempo, o Palmeiras voltou ainda mais vibrante. Keno, o melhor jogador da partida, pedalou e cruzou, mas a zaga tirou a finalização de Borja. O Atlético Mineiro tentou voltar ao jogo trocando o seu ataque (Robinho e Fred), que foi inoperante em toda a partida. Entraram Valdívia, que fez a sua estreia, e Rafael Moura. O time alvinegro conseguiu ficar mais com a bola e teve seu melhor momento no jogo. Aos 42 minutos, Maicosuel, substituto do meia venezuelano Otero, quase marcou.

O Palmeiras também perdeu parte de seu ímpeto quando teve de substituir Keno, exausto, por Michel Bastos. A velocidade deu lugar ao toque cadenciado, mas o time deixou de ser contundente e foi vaiado no final da partida.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 x 0 ATLÉTICO-MG

PALMEIRAS -
Fernando Prass; Mayke, Mina, Edu Dracena e Egídio; Thiago Santos, Tchê Tchê e Guerra; Róger Guedes (Borja), Keno (Michel Bastos) e Willian (Eric). Técnico: Cuca.

ATLÉTICO-MG - Victor; Alex Silva, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago, Otero (Maicosuel) e Cazares; Robinho (Valdívia) e Fred (Rafael Moura). Técnico: Roger Machado.

CARTÕES AMARELOS - Thiago Santos e Michel Bastos (Palmeiras); Robinho, Victor e Yago (Atlético-MG).

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (RJ).

RENDA - R$ 2.118.118,74.

PÚBLICO - 34.240 pagantes.

LOCAL - Estádio Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Por Estadão Conteúdo - Diário Online
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Esportes
21/09/2018 | Tite convoca Pablo, Walace e Malcom para duelos contra Arábia Saudita e Argentina
20/09/2018 | Real Madrid atropela a Roma por 3 a 0 e inicia bem a luta pelo tetracampeonato
18/09/2018 | Jogador de vôlei que jogou em Santo André é encontrado morto na Espanha
As mais lidas de Esportes
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6240 dias no ar.