NOTÍCIA ANTERIOR
Enem ocorre no próximo fim de semana; MEC prevê abstenção menor
PRÓXIMA NOTÍCIA
MEC decide limitar idade para alunos entrarem no 1º ano
DATA DA PUBLICAÇÃO 02/12/2009 | Educação
Pai poderá vigiar filho na aula em cidade do interior de São Paulo
Alunos da rede municipal de Altinópolis, na região de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), estão sendo gravados. O monitoramento por câmeras nas salas de aula e no pátio começou há 15 dias na escola Padre Geraldo Trossel e deve ser estendido pela prefeitura a outras unidades da rede.

A partir do início do próximo ano letivo, os pais terão acesso via internet, ao vivo, às imagens gravadas nas salas de aula.

Segundo o prefeito Marcos Hernani Hyssa Luis (PMDB), o Nanão, os equipamentos foram instalados como parte do projeto pedagógico de tentar aproximar os pais do ambiente da escola. "A questão da segurança está inserida nesse contexto."

De acordo com ele, os pais sem conhecimentos de informática estão passando por cursos de inclusão digital para ter acesso às imagens. "No início, houve um pouco de receio dos professores, mas depois eles perceberam os benefícios das câmeras", afirma o prefeito.

Maria Cristina Dutra de Oliveira, diretora da escola, afirma que não houve casos de violência que tenham provocado a instalação das câmeras. Os equipamentos, segundo ela, também não visam interferir no trabalho dos professores.

"No início, os alunos ficaram meio admirados, não acreditavam que estavam sendo gravados, mas depois passou. Não mudou nada no comportamento deles", diz a professora de matemática Roberta Zanata.

Outra professora, Lurdes Benedito de Souza, afirma que, "no primeiro momento", ficou constrangida, mas depois esqueceu as câmeras. "Meu trabalho continuou o mesmo, mas os alunos ficaram um pouco inibidos. Os que davam trabalho continuam dando trabalho, mas menos do que antes."

Pais de alunos ouvidos pela Folha não só aprovaram a instalação das câmeras como a veem como um modelo a ser adotado em outras escolas.

O professor de artes marciais Ricardo Honório Tozzi, 39, pai de Karen Gonçalves, 12, disse que a medida deve trazer "mais respeito por parte dos alunos". "Eles vão ficar meio constrangidos de perturbar, porque tudo vai ser filmado", afirma.

Antonio Sérgio Bendazolli, 55, pretende comprar um computador para acompanhar o que se passa na escola. Pai de Caio César Bendazolli, 16, Antonio cita o problema das drogas no ambiente escolar como um dos que podem ser enfrentados com o uso das câmeras.

Por Jean Souza - Folha Ribeirão
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Educação
21/09/2018 | Ensino superior cresce no País, mas graças à modalidade a distância
19/09/2018 | Em crise financeira, UFABC tenta definir objetivos para 2019
18/09/2018 | Cidade francesa muda pátio de pré-escola para favorecer a igualdade de gênero
As mais lidas de Educação
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6196 dias no ar.