NOTÍCIA ANTERIOR
Chuva atrapalha diversão em festa junina de Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
Rompimento de adutora deixa bairros de Mauá sem água
DATA DA PUBLICAÇÃO 01/07/2013 | Cidade
Oposição cobra diferença na tarifa no cartão DaHora
Oposição cobra diferença na tarifa no cartão DaHora Foto: Fernando Nonato/24.01.2011/DGABC
Foto: Fernando Nonato/24.01.2011/DGABC
Motivo de comemoração para os usuários de ônibus em Mauá, a redução da tarifa de R$ 3,20 para R$ 3 ainda não é realidade para quem comprou unidades do cartão DaHora antes do último reajuste. O vereador Manoel Lopes (DEM) teve requerimento aprovado na Câmara, cobrando responsabilidade da Prefeitura para devolver a diferença. Entretanto, o secretário de Mobilidade Urbana, Paulo Eugenio Pereira Junior (PT), rechaça ressarcimento.

O requerimento foi avalizado na sessão de terça-feira e será expedido pelo Parlamento nos próximos dias. A partir do momento em que a Prefeitura receber o texto, terá de responder ao Legislativo em um prazo de 15 dias, conforme determina a Lei Orgânica do Município.

Manoel defende que o Paço devolva a diferença na tarifa ao usuário que comprou os créditos do cartão DaHora perante valor tarifário de R$ 3,30, ou seja, antes do dia 5, e R$ 3,20, até o dia 25. “Se a pessoa comprou 50 unidades no começo do mês, por exemplo, pode estar ainda pagando R$ 3,20. Por isso, quero saber se a Prefeitura vai devolver o dinheiro ou vai converter a diferença em mais unidades.”

O democrata não descarta levar o caso ao MP (Ministério Público), caso a resposta da administração do prefeito Donisete Braga (PT) não seja satisfatória. “Se não responder corretamente, abre espaço para recorrer a outras instâncias”, ressalta.

Em decorrência da medida do governo federal em reduzir a zero a alíquota do PIS (Programa de Integração Social) e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) para o transporte público, Mauá reduziu passagem de R$ 3,30 para R$ 3,20. A segunda modificação no preço ocorreu em menos de 15 dias depois por efeito cascata, uma vez que São Paulo também estabilizou o custo para R$ 3 após onda de protestos pelas ruas.

Paulo Eugenio, porém, nega intenção da administração municipal devolver ou converter o valor a mais em novas unidades no cartão DaHora, lembrando do reajuste da tarifa em 26 de dezembro, quando o passageiro viu o preço do ônibus subir de R$ 2,90 para R$ 3,30, aumento de 13,79%.

“Quem comprou unidades (com a tarifa a R$ 3,20), terá direito a esse número de passagens. Da mesma forma que quando compraram (as unidades do cartão DaHora) para R$ 2,90 e passou pelo aumento para R$ 3,30, não cobramos (dos usuários) os R$ 0,40 de diferença”, defende o petista.

Diante disso, o munícipe que usar o transporte coletivo pelo sistema de bilhetagem eletrônica a R$ 3,20 ou a R$ 3,30, fará com que esse montante seja transferido do FMT (Fundo Municipal de Transporte), gerido pela Prefeitura, para as concessionárias que operam o transporte coletivo em Mauá, a Viação Cidade de Mauá e Leblon.

Por Bruno Coelho - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
25/09/2018 | CPTR oferece 20 vagas de emprego (25/09)
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6188 dias no ar.