NOTÍCIA ANTERIOR
Corinthians oficializa estádio para 65 mil
PRÓXIMA NOTÍCIA
Estrutura provisória do Itaquerão é excluída, e ampliação será permanente
DATA DA PUBLICAÇÃO 07/11/2010 | Esportes
O Brasil pertinho das semifinais
Foi difícil e nervoso o jogo com as cubanas, mas o Brasil conseguiu o que queria: ganhou por 3 sets a 1 e está pertinho de uma vaga nas semifinais do Mundial de Vôlei. Para isso, basta uma vitória: ou na terça-feira contra a Alemanha ou na quarta contra os Estados Unidos. O time foi beneficiado com outros resultados da rodada: agora é o único invicto da chave. As americanas, que também estavam invictas, perderam da Itália.

Quem assistiu ao confronto contra as cubanas neste domingo deve ter ficado um pouco assustado com a pane que deu no time brasileiro no primeiro set. A equipe vencia por 6 a 2 e de repente passou a errar muito: no passe e no ataque. Cuba então disparou no placar chegou a 22/14. O Brasil ainda tentou uma recuperação, mas acabou perdendo por 25 a 23.

O legal é que a seleção brasileira consegue sair das situações complicadas. Logo que acabou o primeiro set, as jogadoras se reuniram para uma conversa rápida e cobraram uma das outras paciência e calma. A partir do segundo set, o bloqueio passou a funcionar e a levantadora Fabíola, que está jogando muito bem, passou a acionar mais as centrais.

Resultado: a central Fabiana deu show no ataque. Bateu 18 bolas, colocou 14 no chão. Outro ponto interessante foi que as jogadoras, que não estavam muito eficientes nas funções em que se destacam, ajudaram cumprindo outros papéis. Natália, por exemplo, estava com dificuldade de colocar a bola no chão no ataque, mas foi a jogadora que mais defendeu contra Cuba. Foi melhor nesse fundamento do que a Fabi e a Jaqueline.

No segundo e terceiro set, o Brasil venceu por 25/20 e 25/13. Chegou a ameaçar outra pane no quarto set, mas acabou ganhando por 25/18. As cubanas, agora com quatro derrotas, são cartas fora do baralho. Só quatro seleções do grupo do Brasil têm chances de chegar às semifinais: o invicto Brasil, EUA, que têm uma derrota, e Alemanha e Itália, com duas derrotas.

Fora da quadra, as brasileiras também tiveram motivos para comemorar. A vitória da Itália contra os Estados Unidos por 3 sets a 1 colocou o Brasil em uma situação mais confortável. Se vencer da Alemanha, o time do técnico Zé Roberto Guimarães pode até perder das americanas que ainda tem chance de ficar em primeiro na chave. E terminar na liderança é uma grande vantagem: significa não enfrentar a Rússia, a líder invicta do outro grupo, na semifinal.

Mas afinal o que a Itália, que parecia ter mergulhado em uma crise depois da derrota para o Brasil por 3 sets a 0, fez para vencer os Estados Unidos? Resposta: o time defendeu muito e foi eficiente nos contra-ataques. Fez 67 pontos de ataques contra 52 das americanas.

As surpresas da rodada foram a vitória da lanterna Tailândia sobre a Holanda por 3 sets a 1 e a facilidade com que a Alemanha passou pela República Tcheca com um placar de 3 sets a 0.

No outro grupo, a Rússia continua invicta e com a bola toda. Derrotou a Polônia por 3 sets a 0. O Japão passou pela Turquia, uma das surpresas do Mundial, por 3 sets a 1 e continua na vice-liderança.

Por Folha Online - São Paulo
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Esportes
21/09/2018 | Tite convoca Pablo, Walace e Malcom para duelos contra Arábia Saudita e Argentina
20/09/2018 | Real Madrid atropela a Roma por 3 a 0 e inicia bem a luta pelo tetracampeonato
18/09/2018 | Jogador de vôlei que jogou em Santo André é encontrado morto na Espanha
As mais lidas de Esportes
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6198 dias no ar.