NOTÍCIA ANTERIOR
Anvisa suspende venda e uso de lotes de anticoncepcional Gynera
PRÓXIMA NOTÍCIA
Novo estudo diz que não há limite máximo de vida estabelecido para seres humanos
DATA DA PUBLICAÇÃO 28/06/2017 | Saúde e Ciência
Nova técnica aplica vacina da gripe com microagulhas que se dissolvem na pele
Nova técnica aplica vacina da gripe com microagulhas que se dissolvem na pele Aplicação de microagulhas com vacina que se dissolvem na pele (Foto: Rob Felt, Georgia Tech.)
Aplicação de microagulhas com vacina que se dissolvem na pele (Foto: Rob Felt, Georgia Tech.)
Método promete ser uma alternativa à aplicação dolorida com agulhas e seringas e pode, no futuro, ser usado para outras doenças, de acordo com os pesquisadores.

Pesquisadores apresentaram nesta terça-feira (27) uma nova maneira de imunização contra a gripe. No lugar de uma única aplicação com uma agulha intramuscular, a dose da vacina poderá ser dada por meio de um com um adesivo com outras microgaulhas que se dissolvem na pele. Os resultados foram publicados na revista "The Lancet".

O estudo foi financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH, em inglês), em parceria com Instituto de Tecnologia da Georgia e a Universidade Emory. O método promete ser uma alternativa à aplicação dolorida de agulhas e seringas e, com o avanço das pesquisas, poderia eliminar o desconforto das injeções e a necessidade de ir até uma clínica para receber uma dose.

"Este adesivo com agulhas indolores e dissolúveis pode transformar a forma como somos vacinados", disse Roderic I. Pettigrew, diretor do Instituto Nacional de Imagem Biomécia e Bioengenharia. "Uma característica particularmente atraente é que este adesivo de vacinação pode ser entregue pelo correio e ser usado pelo próprio paciente. Além disso, a tecnologia poderá ser desenvolvida para outras vacinas no futuro".

De acordo com os pesquisadores, o produto tem 100 microagulhas solúveis na água, o suficiente para penetrar na pele. "A pele é um órgão de vigilância imunológica", disse Mark R. Prausnitz, que colaborou com o projeto. "Ela é nossa interface para o mundo exterior, por isso está bem equipada para detectar um patógeno e montar uma resposta imune", completou.

Os testes com produto envolveram 100 pacientes adultos, divididos em quatro grupos: vacinação com o adesivo de microagulhas administrado por um profissional de saúde; vacinação com o adesivo auto-administrado; vacinação com uma injeção intramuscular administrada por um profissional de saúde; placebo aplicado com microagulhas na pele, com a ajuda de um profissional de saúde.

Os pesquisadores usaram para a pesquisa uma vacina contra a gripe referente à temporada de 2014/2015 e descobriram que a vacinação feita com adesivo é segura, sem consequências graves -- alguns pacientes tiveram reações locais na pele, onde estavam as microagulhas, descritas como "vermelhidão fraca e irritação suave", com uma duração de dois a três dias.

Os resultados também mostraram que a resposta dos anticorpos à vacina, medida pela análise de amostras de sangue, era semelhante à dos grupos vacinados usando a injeção tradicional. Essa imunização ainda ocorria seis meses após a aplicação. Mais de 70% dos pacientes dos testes disseram que preferiam receber a vacina por meio do adesivo.

Por G1
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Saúde e Ciência
20/09/2018 | Campanha contra sarampo e poliomielite segue na região
19/09/2018 | É melhor dormir com ou sem meias?
19/09/2018 | Forma de andar mostra os vícios de postura
As mais lidas de Saúde e Ciência
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6195 dias no ar.