NOTÍCIA ANTERIOR
O inusitado acordo por viral no YouTube que salvou condenado por pirataria
PRÓXIMA NOTÍCIA
Apple pagará indenização a homem que teve fotos de lua de mel apagadas
DATA DA PUBLICAÇÃO 02/12/2015 | Tecnologia
Nova Barbie é conectada, mas pode ser risco para a privacidade
Inteligência artificial da Hello Barbie permite respostas pessoais às crianças.

Brinquedo envia conversas em redes wi-fi para servidores na 'nuvem'.


A nova boneca Barbie é "inteligente" e está conectada, apesar de até demais para o gosto de alguns ativistas que defendem a privacidade online.

A gigante Mattel lançou este ano a boneca high-tech "Hello Barbie", que promete tornar-se um grande sucesso de vendas, pois permite que as crianças falem e obtenham respostas de um de seus brinquedos favoritos.

Mas para que isso aconteça, as conversações viajam em redes wi-fi para servidores na "nuvem" que usam inteligência artificial para enviar uma resposta pessoal às crianças.

Para o grupo ativista Campaign for a Commercial-Free Childhood, os riscos que esta Barbie representam para a privacidade individual são muito maiores do que seus benefícios.

"As crianças confiam em seus bonecos e revelam detalhes íntimos de suas vidas, mas Hello Barbie não manterá essas conversas em segredo", afirma o grupo em um comunicado.

"Quando o cinto da Barbie é pressionado, tudo o que seu filho diz é transmitido para os servidores na nuvem, onde o parceiro de tecnologia da Mattel, ToyTalk, armazena e analisa tudo", indica.

"Os funcionários da ToyTalk e suas empresas associadas escutam as gravações das conversas das crianças. E a ToyTalk sequer informa quem são seus parceiros", acrescentou.

A organização também alerta que a boneca "pode ser tentadora para hackers, que através da boneca poderão acessar dados armazenados por redes familiares e dispositivos domésticos".

O grupo de defesa dos consumidores também argumenta que este brinquedo high-tech mina a criatividade.
Detalhe da boneca Hello Barbie (Foto: Divulgação/Mattel)Detalhe da boneca Hello Barbie (Foto: Divulgação/Mattel)

"As crianças deveriam usar sua própria iniciativa e criatividade para manter conversas com uma boneca", indica o texto.

Em contrapartida, "com Hello Barbie, os programadores e algoritmos da Mattel e ToyTalk conduzem a conversa, o que afeta a criatividade na brincadeira que é tão importante para o desenvolvimento da criança".

#HellNoBarbieO grupo exortou os pais a não comprar esta boneca e lançou uma campanha online com a hastag #HellNoBarbie.

Mattel não respondeu aos pedidos de comentários por parte da AFP. Mas ToyTalk escreveu em seu blog na semana passada que o projeto da Hello Barbie integra "muitos recursos de segurança."

"Nós não temos conhecimento de que alguém tenha sido capaz de acessar os dados de áudio das crianças por meio da rede wi-fi", indicou a empresa.

ToyTalk assegurou que as senhas de segurança são armazenadas em uma seção criptografada da boneca e que não guardam histórico das conversas.

A empresa acrescentou que os dados "nunca são usados para fins publicitários" e que a boneca tem a certificação da lei de proteção da privacidade on-line das crianças.

Para responder às preocupações sobre a privacidade, ToyTalk e Mattel lançaram um programa para detectar erros em que os investigadores são recompensados caso descubram, de forma responsável, potenciais vulnerabilidades.

ToyTalk também disse esperar que o novo brinquedo forneça calor às crianças. "Mattel e ToyTalk projetaram esta boneca devido a inúmeros pedidos de crianças que querem falar com a Barbie", disse a empresa.

Por G1 - France Presse
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Tecnologia
21/09/2018 | Brasileiro fica quase 3 horas por dia assistindo a vídeos online; aumento foi de 135% em 4 anos
19/09/2018 | Sony anuncia PlayStation Classic, versão mini do PS1 com 20 jogos na memória
18/09/2018 | A curiosa razão por que o relógio sempre marca 9:41 nos anúncios da Apple
As mais lidas de Tecnologia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6230 dias no ar.