NOTÍCIA ANTERIOR
Elvis in Concert - Especial Dia dos Namorados - 13 de Junho
PRÓXIMA NOTÍCIA
Ornette Coleman, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 85 anos
DATA DA PUBLICAÇÃO 09/06/2015 | Cultura
No Rio, Backstreet Boys garantem que ''brasileiras são as mais apaixonadas'
Segundo show da turnê no Brasil aconteceu nessa segunda (8), na Barra.

Canga do Cristo Redentor, camisa da seleção e bandeira arrancaram gritos.


A regra dada por Nick Carter foi "voltarem aos 15 anos". Vinte e dois anos se passaram depois da explosão dos Backstreet Boys nos anos 90, mas a multidão que lotou o Citibank Hall, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, garante que nada mudou. Enquanto uma geração de trintões se emocionava ao lembrar dos hits do início da banda e conhecer o álbum "In a world like this", os cinco "garotos" da queridinha boyband norte-americana, literalmente, brincaram no palco durante toda a noite dessa segunda-feira (8).

Antes mesmo do show começar, "Everybody" e "All I have to give" já eram gritadas pelos fãs que esperavam na fila. Alguns chegaram ao local no sábado (6) para garantir um bom lugar na plateia. A ansiedade crescia lá dentro, mas bastou o primeiro jogo de luzes para fazer a plateia esquecer o atraso de meia hora.

Cada integrante teve um tempo para interagir com o público. Após abrirem a noite com "The Call", "Don't Want you back" e "Incomplete", foi Nick que deu as boas vindas. Ele afirmou que o Brasil é um dos lugares que eles mais gostam de fazer show e propos um acordo: "fiquem loucos", "percam a voz" e "voltem aos 15 anos nesta noite".

A maioria dos fãs cresceram com a gente e, da mesma forma que nós temos filhos, as nossas fãs também já têm filhos", disse Kevin.

Depois foi a vez de Kevin Richardson conquistar a plateia. O cantor, que tinha desfalcado a formação original na última passagem da banda pelo Brasil, em 2011, foi muito bem recebido de volta. Duas ou três vezes a plateia fez coro gritando o seu nome para homenageá-lo. Ele retribuiu à altura. "Senti saudades. As fãs brasileiras são as mais apaixonadas pelo grupo. A maioria dos fãs cresceram com a gente e, da mesma forma que nós temos filhos, as nossas fãs também já têm filhos".

Imitando voz de criança e desenho animado, plantando bananeira, ameaçando ir para a plateia, dançando como malandro e empinando a bunda. Foi assim que o brincalhão Brian Littrell arrancou risos do público. "Nós amamos o Rio por causa das fãs, elas são bastante receptivas". Após autografar um papel e fazer, com as mãos, um coração, o cantor fez duas perguntas ao falar do passado e futuro dos Backstreet Boys. Ele provocou as fãs perguntando se estavam cansadas e se queriam ir para casa. A plateia foi unânime dizendo que não. Já quando ele questionou se daqui a 22 anos elas voltariam num show deles, um consistente e prolongado "Yes" tomou conta do lugar.

A canção "Breathe" contou com efeito especial feito pelo público a pedido de AJ McLean. Após mexer com todo o público, desde os camarotes até as pistas e dizer que as fãs brasileiras são muito bonitas e sexys, ele pediu que todos ligassem as lanternas dos seus celulares. Segundo ele, "para transformar a plateia num céu cheio de estrelas".

Após a euforia de "We've got it Goin' On", música que mais levantou os oito mil fãs que lotaram a casa, os cinco se dirigiram para seus instrumentos e fizeram um momento acústico com as baladas "Drowing, 10.000 Promises e Madeleine. À capela, eles mostraram que, além da energia, descontração, coreografias e porte físico, a divisão de vozes e qualidade vocal também não ficaram pra trás.

Entre as várias brincadeiras e interações com Nick Carter, Howie Doroygh também teve seu momento de destaque. Depois de dizerem que ele seria um dos únicos que continuaria dançando bem daqui um tempo, o cantor teve que se render aos clamores das fãs que gritavam seu nome. A palhinha de dança virou um rebolado. Depois, foi a vez de AJ atender o pedido e requebrar. Já Nick, que não topou a dança, se certificou se "o público estava entendendo o inglês" e provocou ainda mais jogando a toalha que limpava o seu suor e água na plateia.

As trocas de roupas eram intercaladas por imagens do documentário que celebra os 20 anos de carreira dos Backstreet Boys.

O primeiro show da turnê no Rio de Janeiro não ficou sem homenagem à Cidade Maravilhosa. Nick abriu uma canga com a imagem do Cristo Redentor e, por várias vezes, os outros cantores balançavam a bandeira do Brasil. Além disso, Kevin também carregava, no bolso de trás da calça, uma camisa da Seleção Brasileira.

Para fechar com mais surpresa as duas últimas músicas, "Everybody" e "Larger than life", AJ subiu ao palco todo vestido de verde e amarelo.

Turnê Backstreet Boys no Brasil

Belo Horizonte

Quando: terça-feira, 9 de junho
Onde: Chevrolet Hall (Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, Belo Horizonte)

São Paulo
Quando: sexta-feira, 12 de junho, e sábado, 13 de junho (show extra)
Onde: Citibank Hall (Av. das Nações Unidas, 17955, Santo Amaro)


Porto Alegre
Quando: domingo, 15 de junho (nova data)
Onde: Pepsi On Stage (Av. Severo Dullius, 1995)

Por Andressa Gonçalves e Susan Vidinhas - G1, no Rio Facebook
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Cultura
25/09/2018 | Encontro com o passado
21/09/2018 | ''Sou muito feminino, isso é uma grande qualidade'', diz Chay Suede a Pedro Bial
20/09/2018 | Avril Lavigne lança Head Above Water, música sobre a doença a qual sofre
As mais lidas de Cultura
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6235 dias no ar.