NOTÍCIA ANTERIOR
Tucano coordena o plano de Vanessa para Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
Donisete discute propostas de governo com a sociedade em Mauá
DATA DA PUBLICAÇÃO 20/06/2012 | Cidade
Mostras homenageiam Iwao Nakajima em Mauá
Mostras homenageiam Iwao Nakajima em Mauá Exposição pode ser conferida no Teatro Municipal. Foto: Amanda Perobelli
Exposição pode ser conferida no Teatro Municipal. Foto: Amanda Perobelli
Duas exposições revisitam a vida do artista e sua vocação para a arte

Vida e obra de Iwao Nakajima estão em duas exposições em Mauá. Modos de Ver expõe em retrospectiva a trajetória do artista: quadros que denotam sua evolução e fases profissionais, além de objetos usados no seu dia a dia. Já Arte Naif dedica-se a mostrar a vocação que Iwao possuía para arte popular. A pintura de Nakajima possui intensa poética, que encanta pelos traços leves, dessa arte primitiva e ingênua que tem raízes na memória e na sensação íntima da própria realidade.

Em Modos de Ver estão objetos pessoais do artista, como instrumentos de trabalho. De acordo com a curadora das duas exposições, Luciana Sinhorelli, o nome se deu porque as 15 obras expostas no saguão do Museu Barão de Mauá denotam a “forma muito particular de Iwao Nakajima ver o mundo”.

“Iwao viajava muito pelo Brasil: Piauí, Minas, Amazônia e muitos outros lugares. Nessas andanças reparava nos detalhes das cidades, como as feirinhas, casarios, paisagens, e claro, as feições da nossa população”, contou. E a partir das cores e dos detalhes que viu, Nakajima foi criando um estilo próprio. O estilo com o qual o artista se identificou foi o naif, exposto na segunda mostra, no Teatro Municipal de Mauá.

Arte dos detalhes - Arte Naif poderia ser definida como aquela que se faz por instinto, por pessoas munidas de sabedoria popular, que não possuem formação culta no campo das artes. A pintura naif se caracteriza pela ausência das técnicas usuais de representação (formas convencionais de composição e de utilização das cores) e pela visão ingênua do mundo. As cores brilhantes e alegres – fora dos padrões usuais –, a simplificação dos elementos decorativos, o gosto pela descrição minuciosa, a visão idealizada da natureza e a presença de elementos do universo dos sonhos são alguns dos traços considerados típicos dessa modalidade, com a qual Iwao Nakajima se familiarizava.

O artista criou estilo próprio ao mesclar o estilo acadêmico, ou seja, se valendo de técnicas para produzir, com os traços populares e coloridos que tão bem representam a Região. Nascido em Guma, Japão, em 1934, Nakajima estudou pintura e desenho no Instituto de Pesquisa de Cerâmica e Porcelana de Nagoya, Japão. Em1956, chegou ao Brasil como técnico de pintura sobre esmalte, iniciando seu trabalho na fábrica de porcelana Monte Alegre, em São Caetano, onde permaneceu até 1958.

Em 1961, visitou Mauá, onde comprou um terreno no Bairro Feital para construir seu ateliê de pintura e casou-se com Sumiko, que doou o quadro Corpus Christi, de Nakajima, para o Museu Barão de Mauá. “Ele não chegou a morar em Mauá, mas contribuiu para ressaltar a vocação de Mauá para as artes em cerâmica e porcelana quando trabalhou aqui”, para Luciana Sinhorelli, a contribuição de Nakajima não se limita a isso. “Nós de Mauá pudemos conhecer a cultura de um Brasil inteiro através de suas telas.”

Exposições concretizam desejo do artista plástico
As exposições em Mauá aconteceram obedecendo a uma das últimas vontades de Iwao Nakajima. Em agosto de 2011 o artista esteve na abertura da exposição do artista plástico de Embu das Artes Paulo Dud, no Museu Barão de Mauá. Na ocasião, manifestou seu desejo de expor suas obras ali. “Estávamos com a agenda cheia para os próximos meses, mas ficamos de combinar. Pouco depois de um mês ele faleceu, mas sua esposa prosseguiu com seus planos.”

Nakajima entrou com sua pintura sobre tela em salões de arte e ganhou muitos prêmios. Representou Embu das Artes na 10ª Bienal Naifs do Brasil, em Piracicaba, em 2010. Em 2004, ele recebeu diversos prêmios no 55º Salão da Paisagem, em São Paulo, no 63º Salão Livre da Associação Paulista de Belas Artes (APBA). Também foi premiado no Salão Comemorativo dos 450 anos de São Paulo e 44º Salão de Belas Artes, além de exposições em Nova York, nos Estados.

Serviço:

•Modo de ver
Museu Barão de Mauá:
rua Doutor Getúlio Vargas, 276, Vila Guarani .Visitação até 30 de junho, de segunda a sexta, das 9h às 16h e sábados das 9h às 15h. Gratuito. Informações pelos telefones 4519-4011 ou 4519-6456.

•Arte Naif
Teatro Municipal de Mauá:
rua Gabriel Marques, 353, Vila Noêmia. Visitação até 30 de junho, de segunda a domingo, das 9h às 18h. Gratuito. Informações: 4555-0086.

Por Marina Bastos - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6410 dias no ar.