NOTÍCIA ANTERIOR
Cidade belga ganha ''faixas'' para quem escreve no celular enquanto anda
PRÓXIMA NOTÍCIA
Sony irá avaliar exportação de PS4 brasileiro para a América Latina
DATA DA PUBLICAÇÃO 16/06/2015 | Tecnologia
Morador de São Bernardo pode ser "fiscal digital" de serviços públicos
Morador de São Bernardo pode ser
O secretário de Serviços Urbanos, Tarcísio Secoli, com o aplicativo baixado no smartphone que vai aproximar ainda mais os moradores da Administração pública. Foto: Andris Bovo
Cidade lança aplicativo para solicitar serviços como reparos; andamento poderá ser acompanhado

Por smartphone ou tablet, o morador de São Bernardo já pode solicitar vários serviços municipais, tais como varrição, coleta de lixo, poda de árvore, reparos de buracos, de iluminação pública, de semáforos. E não apenas fazer a demanda, mas também acompanhar o andamento, tornando-se espécie de “fiscal digital”. Nesta segunda-feira (15/06), a cidade lançou o aplicativo VcSBC, inserindo-se no conceito de Smart Cities ou Cidades Inteligentes.

O aplicativo, desenvolvido pela Prefeitura e o Instituto TIM, integra o sistema ZUP (Zeladoria Urbana Participativa), plataforma em software (programa de computador) livre cujo objetivo é auxiliar na gestão pública de municípios. A ferramenta já está disponível no site da Prefeitura (http://www.saobernardo.sp.gov.br/home). Após baixar, o morador poderá enviar fotos e relatar os problemas detectados na cidade, bem como acompanhar o andamento dos mesmos. “A pessoa se manterá informada sobre todos os passos para a solução do problema, quais atividades e investimentos foram necessários. Essa interação será bacana”, avaliou o secretário de Serviços Urbanos, Tarcísio Secoli.

Na plataforma, o morador ainda será capaz de acompanhar os problemas apontados por outros usuários do sistema, o que evitará a duplicação de casos. A expectativa do prefeito Luiz Marinho é que, no início, por conta da comodidade e agilidade para se fazer os pedidos, o número de relatos aumente. “É um grande desafio dar à população o poder de demanda da melhoria contínua da cidade. O processo de gestão não será simples, mas será um processo coletivo de aprendizado”, analisou Marinho. Nas primeiras quatro semanas de testes, o aplicativo recebeu mil solicitações.

Prazos - Outra expectativa é que o uso do aplicativo contribua para a redução do tempo de resposta e solução dos serviços por parte da Prefeitura. “Antes ligava para o 156 para relatar o problema e depois era despachado para cada secretaria. Só aí perdíamos muito tempo. Agora será tudo online”, esclareceu Secoli. Para cada solicitação há um prazo de espera que pode variar de um a 30 dias. Mesmo com o aplicativo, o 156 continuará funcionando por enquanto.

Outra novidade é que os secretários poderão acompanhar e até mesmo cobrar seus funcionários sobre o andamento das solicitações. “Cada secretário terá um indicador da sua área para monitorar o volume, as maiores incidências de serviços por região, o que não está sendo cumprido, e assim tomar uma ação preventiva”, informou Secoli. As secretarias com maiores demandas serão as de Saúde (Zoonoses), Serviços Urbanos (lixo), Transporte (trânsito) e Obras.

ZUP criou mapeamento de árvores em São Bernardo
Além de incentivar a manutenção da cidade, o ZUP (Zeladoria Urbana Participativa) permite criação e gestão de inventários. São Bernardo escolheu o mapeamento arbóreo como o primeiro banco de dados. Para tanto, o Instituto TIM financiou o mapeamento de 500 quilômetros da cidade, onde foram catalogadas 24 mil árvores.

“A pesquisa identificou a espécie da árvore, tamanho, se está doente ou não, entre outros dados”, explicou o secretário de Serviços Urbanos de São Bernardo, Tarcísio Secoli. A ideia é encontrar e substituir as árvores doentes ou de grande porte por espécies nativas da Mata Atlântica. Agora a Prefeitura pretende levantar recurso ou fazer parceria para o mapeamento de outras 111 mil árvores.

O lançamento do ZUP é mais um passo para São Bernardo se tornar uma Smart City ou Cidade Inteligente. O primeiro passo, conforme Secoli, foi dado em 2009, com a criação da Rede Fácil, para atendimento da população. “No início eram 300 serviços online. Hoje já são 900”, analisou. O outro passo ocorreu em 2010, com a instalação dos 300 km de fibra ótica pelo município. “Tudo isso foi preparando a cidade para ser uma Smart City”, revelou Secoli. “O aplicativo é apenas mais um passo”, complementou o prefeito Luiz Marinho.

Por Claudia Mayara - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Tecnologia
21/09/2018 | Brasileiro fica quase 3 horas por dia assistindo a vídeos online; aumento foi de 135% em 4 anos
19/09/2018 | Sony anuncia PlayStation Classic, versão mini do PS1 com 20 jogos na memória
18/09/2018 | A curiosa razão por que o relógio sempre marca 9:41 nos anúncios da Apple
As mais lidas de Tecnologia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6234 dias no ar.