NOTÍCIA ANTERIOR
Vaso de flores custa R$ 19 no Dia de Finados
PRÓXIMA NOTÍCIA
Fórum mostra importância da embalagem
DATA DA PUBLICAÇÃO 04/11/2012 | Economia
Mercado acirra disputa de pet shops instalados na Região
Mercado acirra disputa de pet shops instalados na Região Estimativa é que Região tem metade do total de lojas instaladas na Capital. Foto: Luciano Vicioni
Estimativa é que Região tem metade do total de lojas instaladas na Capital. Foto: Luciano Vicioni
Estratégia de sobrevivência está na diversificação de negócios, apontam economistas

O mercado de pet shop no ABCD é forte e considerado por economistas uma extensão da Capital em relação a potencial de negócios. O professor de ciências econômicas da Universidade Metodista de São Paulo, David Dantas, estima que o mercado da Região é formado pela metade do total de lojas de animais instaladas na Capital. De acordo com a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), há cerca de 10 mil pet shops na Capital. Para o economista, o tamanho do mercado leva a uma concorrência maior na Região.

“A concorrência do mercado no ABCD leva a diversificar a atuação do serviço, oferecendo-o em locais como supermercados ou em locais específicos, como shoppings e clínicas veterinárias”, afirma Dantas.

Thiago Denis, proprietário do Pet Shop e Avicultura Vira Lata, na Vila Assunção, em Santo André, oferece produtos para animais e serviço de veterinária. O comerciante afirma que tem visto nos últimos anos crescer o número de pet shops na Região. “A concorrência está muito grande, mas não chega a atrapalhar o negócio. Também têm muitos que abrem e fecham", afirma.

Estudo do Ibope divulgado em setembro prevê que o mercado de pet shop irá movimentar R$ 5,92 bilhões no Brasil neste ano. A estimativa inclui gastos com a compra de animais, visitas a veterinários, vacinas, banho, tosa, alimentação, higiene, brinquedos e acessórios.

Estratégias - Denis tem como tática para enfrentar o mercado oferecer bom serviço e atendimento. No caso do banho, os donos dos animais podem assistir ao tratamento para ver que o animal está sendo bem tratado. De acordo com o comerciante, o lucro líquido do negócio chega próximo a R$ 10 mil.

Denis diz não ter dificuldade com a concorrência por estar há 15 anos no mercado e ter clientela consolidada. Ele afirma valer a pena atuar no ramo. “Você acaba pegando amor. Hoje em dia consigo me sustentar, deixar minhas contas todas em ordem”, diz o comerciante.

João Carlos Mediolaro, proprietário de Pet Shop Mediolaro, em São Bernardo, procura diversificar os serviços. No local são comercializados roupas e acessórios para animais, além de serviços de veterinária, banho, tosa, estética animal e venda de ração.

Já Samantha Ogata, proprietária do Pet Shop e avicultura São José, em São Caetano, procura adquirir mais produtos e vendê-los a preços baratos.

Pessoas sozinhas adotam mais animais

O economista da Universidade Metodista de São Paulo David Dantas atribui o crescimento do mercado ao fato de as pessoas estarem vivendo mais sozinhas, tendo um animal de estimação como companhia.

O ABCD MAIOR informou na edição de terça-feira (27/10) que 8,4% dos domícílios na Região têm apenas um morador, totalizando quase 55.970 pessoas que moram sozinhas, conforme o Censo de 2010 do IBGE.

De acordo com a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), o Brasil é o segundo maior do mundo em população de cães e gatos, tendo em 2011 35,7 milhões de cães e 19,8 milhões de gatos contra 34,3 milhões e 18,3 milhões em 2010, respectivamente. Também é o segundo maior em faturamento. Em ambos os rankings, o País perde apenas para os Estados Unidos.

Para João Carlos Mediolaro, proprietário do pet shop que leva o seu nome, a demanda no mercado pet está no nível da oferta do serviço e diminui o problema da concorrência. “Tem crescido o número de cachorros. A demanda é maior que a concorrência.”

Oferecer serviços incrementa o negócio


A facilidade de montar um pet shop depende do tipo de serviço oferecido, mas a diversificação ajuda o comércio, de acordo com o professor David Dantas. “Não é difícil quando o local oferece apenas a venda de produtos. Agora, quando há também serviços como veterinária, o comerciante já precisa de um lugar maior para montar o negócio.”

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo recomenda que todos os pet shops e clínicas veterinárias do ABCD se registrem no conselho para receber orientações sobre o ramo. Entretanto, na Região apenas 163 clinícas veterinárias e 347 pet shops estão registrados no órgão.
O site Pet Shop Guia ABC oferecia na última semana o contato de 218 pet shops ou clínicas veterinárias da Região.

Valdir Abrahau Junior, dono do site, afirma que o número de estabelecimentos cadastrados aumentou cerca de 30% este ano. Abrabahau Junior disse que pode-se encontrar desde os negócios simples aos mais diferenciados. Um exemplo é o Hospital Veterinário Santa Terezinha em Santo André, que funciona 24 horas e oferece acupuntura e odontologia para cães.

Por Arthur Gandini - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6477 dias no ar.