NOTÍCIA ANTERIOR
Índice Big Mac mostra real com subvalorização de 32,0%
PRÓXIMA NOTÍCIA
Fundação ABC abre concurso para mais de mil vagas
DATA DA PUBLICAÇÃO 10/01/2016 | Economia
Material escolar fica 25,6% mais barato
Material escolar fica 25,6% mais barato Foto: Claudinei Plaza/DGABC
Foto: Claudinei Plaza/DGABC
O preço médio da cesta de materiais escolares básicos em lojas do Grande ABC teve queda de 25,77% na comparação com o ano passado. A equipe do Diário visitou ao longo da semana cinco estabelecimentos de pequeno, médio e grande portes e constatou que o kit com 26 itens está R$ 26,63 mais barato do que em 2015. A lista foi feita com os produtos mais em conta encontrados em cada estabelecimento.

Além da crise econômica, que faz com que os comerciantes reduzam as margens de lucro para tentar oferecer preços mais atrativos ao consumidor, a maior disponibilidade de produtos contribui para que o cliente consiga comprar mais barato. No ano passado, por exemplo, o fichário universitário custava, em média, R$ 51,86, valor que caiu para R$ 25,54. Isso significa que há maior oferta de materiais mais em conta. O produto, inclusive, foi o que puxou a queda total do kit. Neste ano, o fichário, que pesa 33,29% na cesta, caiu 50,75% ante 2014. O mais barato encontrado pela equipe do Diário custava R$ 9,90.

O pacote com 500 folhas de papel sulfite tamanho A4 teve redução na comparação com o ano passado, tendo registrado baixa de 15,36% no preço médio, para R$ 11,46. Os cadernos, tanto o brochura pequeno de 46 folhas, quanto o universitário com 96 folhas e encadernação em espiral, também ficaram mais baratos, com diminuição de 29,43% e 12,69%, respectivamente, custando R$ 2,11 e R$ 5,78.

Alguns materiais, entretanto, registraram elevação superior à inflação acumulada em 2015, de 10,67%. A maior alta foi a da cola em bastão, na embalagem de 20 gramas, que saltou de R$ 1,09 para R$ 4,56 (318,35%). A régua de 30 centímetros em acrílico subiu 177,14%, passando de R$ 0,70 para R$ 1,94. Outro incremento relevante foi o do pacote com 12 canetas hidrográficas, que chegou à média de R$ 6,24 e representa peso de 8,13% no total da cesta.

Uma das maneiras de o cliente economizar nas compras é optar por itens vendidos em grande quantidade. Na loja de rede de grande porte no Centro de Santo André, caixa com 20 borrachas brancas sem capa era vendida a R$ 4,60 – o equivalente a R$ 0,23 cada uma. No mesmo estabelecimento, embalagem com duas unidades de borracha de outra marca era comercializada a R$ 2,99, o que representa preço unitário de quase R$ 1,50. O lápis preto número 2 sai por R$ 0,55 na embalagem com seis, o valor mais baixo entre os pesquisados.

Personagens elevam preços em até 1.000%

Quem está com o orçamento apertado deve fugir dos materiais que levem a imagem de personagens de filmes, desenhos, jogos e seriados. Mesmo que as crianças e adolescentes façam cara feia. Os itens alusivos a produções famosas são até 1.000% mais caros.

Pesquisa realizada pelo Diário na semana passada mostra que, em loja localizada no Centro de Santo André, fichário universitário preto, sem desenhos, era vendido a R$ 15,90. No mesmo estabelecimento, o decorado com personagens do desenho Frozen custava R$ 174,90.

Em outra loja, caderno de 96 folhas com a capa lisa podia ser comprado a R$ 3,50, enquanto outro com referências ao FC Barcelona saía por R$ 11,50 (228,57% a mais).

A bancária Andréia Martins, 40 anos, sentiu essa diferença ao comprar os materiais para as filhas de 7 e 12 anos. “Acabei pegando caderno da Ever After High que custa R$ 13. Se eu fosse levar o liso, pagaria R$ 5. Mesmo assim, optei por esse que elas queriam, pois acho que isso pode estimular os estudos”, comenta.

A autônoma Cícera Vicente de Souza, 38, vive situação semelhante. Os gastos dela, entretanto, tendem a ser ainda mais elevados, já que possui quatro filhos: de 5, 9, 11 e 13 anos. “Acabei cedendo nos cadernos. Mas, nos outros materiais, como estojo e mochilas, peguei do mais básico.”

VARIAÇÕES - Outra maneira de economizar é comparar. Se a cesta com materiais escolares básicos for feita com os itens mais baratos – não necessariamente da mesma loja – o gasto será 59,78% menor do que se forem escolhidos os produtos mais caros. Considerando a lista fechada de cada estabelecimento, o conjunto mais em conta custa 41,14% menos do que no local que pratica os maiores preços.

A borracha foi o item que apresentou maior variação, de 769,57%, oscilando de R$ 0,23 a R$ 2. O caderno básico de 96 folhas foi encontrado a R$ 3,50 a e a R$ 11 – diferença de 214,29%.

Por Fábio Munhoz - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6194 dias no ar.