NOTÍCIA ANTERIOR
Temer submete ao Senado indicações para diretorias da ANA e ANS
PRÓXIMA NOTÍCIA
Suíça viu transação atípica em contas atribuídas ao PT
DATA DA PUBLICAÇÃO 01/06/2017 | Política
JBS lista doações eleitorais para nove políticos da região
 JBS lista doações eleitorais para nove políticos da região Foto de divulgação
Foto de divulgação
Pelo menos nove políticos do Grande ABC aparecem na lista de doações eleitorais efetuadas pela JBS. Os nomes constam em relação de 1.829 candidatos auxiliados financeiramente pela empresa. A planilha foi apresentada à PGR (Procuradoria-Geral da República) como parte da delação premiada feita por sócios e executivos da companhia no âmbito da Operação Lava Jato.

Foram contemplados Gilberto Costa (PEN), ex-vereador de São Caetano; Cidão do Sindicato (SD), ex-vereador de São Caetano; Ailton Lima (SD), atual secretário de Desenvolvimento Econômico de Santo André; Ana Glória Silva (PEN), de Santo André; Marcelo Lima (SD), vice-prefeito de São Bernardo; Frank Aguiar (PRB), ex-vice-prefeito de São Bernardo; Regina Gonçalves (PV), secretária de Habitação de Diadema; Vanessa Damo (PMDB), ex-deputada estadual de Mauá; e Diniz Lopes (PSB), ex-prefeito interino de Mauá. Todos foram candidatos na eleição de 2014. A maioria nega irregularidades.

Somadas, as transferências da JBS para esses políticos do Grande ABC chegam a R$ 764,8 mil. A companhia relatou à PGR que doações a campanha foram forma encontrada de buscar contrapartidas à companhia no setor público.

Regina, que há três anos buscou cadeira de deputada estadual, foi quem mais recebeu: R$ 173 mil. O recurso foi registrado na prestação de campanha da verde ao fim do processo eleitoral. “Foi doação via direção estadual do meu partido. Não conheço e nunca tratei de doações eleitorais com a empresa (JBS). Foi doação oficial, devidamente registrada e respeitando as leis.”

De fato, todos os nove citados na lista da JBS declararam oficialmente a verba obtida para campanha eleitoral. O aporte teve como origem depósitos efetuados pelas direções estadual ou nacional dos respectivos partidos ou da campanha de candidatos com mais estrada na política. Como é o caso de Marcelo.

Em 2014, o hoje vice-prefeito estava no PPS e concorreu a deputado estadual. Dos R$ 43 mil recebidos da JBS, a maior parte veio do comitê do ex-ministro Roberto Freire (PPS), candidato a deputado federal à ocasião. “Nunca recebi doação (direta) da JBS. Não tenho qualquer relação com a empresa ou tive doação (direta) dessa empresa”, disse.

Ailton argumentou que o dinheiro foi repassado pela direção do SD à sua campanha a deputado federal. “Não participei desse pedido e não tenho relação com a JBS”. Diniz e Gilberto seguiram a mesma linha. “Perguntei se o dinheiro era regular e me disseram que sim. Tanto que tive contas aprovadas de campanha”, relatou Diniz. Cidão do Sindicato também alegou que o recurso teve origem da direção do SD.

O Diário não localizou Vanessa, Ana Glória e Frank para comentar o caso. (Colaborou Felipe Siqueira)

Por Fábio Martins e Raphael Rocha - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Política
25/09/2018 | Bolsonaro inicia dieta branda e faz caminhada fora do quarto, diz boletim
21/09/2018 | Bolsonaro diz nunca ter cogitado volta da CPMF e fixa postagem no seu Twitter
20/09/2018 | Ibope: Em São Paulo, Bolsonaro se isola com 30% das intenções de voto
As mais lidas de Política
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6238 dias no ar.