NOTÍCIA ANTERIOR
Homem-Aranha derruba ''grandalhão'' após ser provocado na Times Square
PRÓXIMA NOTÍCIA
Cão é achado morto nos EUA com bilhete: ''batemos nele até a morte''
DATA DA PUBLICAÇÃO 11/08/2015 | Internacional
Japão reinicia primeiro reator nuclear após quatro anos de Fukushima
Reator 1 da central de Sendai vai gerar energia elétrica até sexta-feira (14).

200 pessoas protestaram diante da entrada da central.


Um primeiro reator nuclear entrou em funcionamento nesta terça-feira (11) no Japão, quatro anos após o acidente de Fukushima, que provocou o fechamento de todas as usinas nucleares no país a partir de setembro de 2013.

"O reator número 1 da central de Sendai (1.000 km a sudoeste de Tóquio) foi reiniciado às 10h30 local (22h30 de segunda, 10, no Brasil)", anunciou uma porta-voz da companhia operadora Kyushu Electric Power.

O reator, de 31 anos, deve atingir sua plena capacidade operacional por volta das 23h00 (11h00 Brasília) e começar a gerar energia elétrica na sexta-feira (14), com a retomada da exploração comercial no início de setembro, informou a companhia.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, declarou na noite de segunda-feira (10) que a retomada é acompanhada de todas as medidas de segurança, que "devem ser a principal prioridade".

O governo conservador defende a reativação do setor nuclear especialmente por questões econômicas, diante do custo da energia importada. A administração deseja que a energia nuclear gere 22% da energia elétrica no Japão até 2030, um porcentual menor que antes de Fukushima.

Mas a maioria da população questiona a validade da reativação, qualificada de "erro" por Naoto Kan, primeiro-ministro no momento do acidente de Fukushima e hoje um dos principais críticos da energia nuclear.

Um grupo de 200 pessoas - procedentes de várias regiões do Japão - protestou diante da entrada da central de Sendai aos gritos de "contra as reativações", segundo a rede de TV estatal "NHK". Na noite desta terça deverá ocorrer outra manifestação, desta vez em frente à casa de Abe em Tóquio.

"O acidente de Fukushima ainda não foi resolvido e suas causas, elucidadas. Então, por que motivo vamos reativar um reator?", questionou em Sendai um morador de Fukushima.

O reator reativado nesta terça foi colocado em operação em julho de 1984, sendo paralisado em maio de 2011 para a manutenção regular, mas as autoridades decidiram deixá-lo fora de operação após a adoção de normas de segurança mais severas devido ao desastre na central de Fukushima, em março de 2011, provocado por um tsunami.

O Japão tinha 54 reatores operacionais antes da destruição de seis unidades da central de Fukushima. Dos 48 restantes, pelo menos cinco devem ser desmantelados.

Por G1 - France Presse
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Internacional
20/09/2018 | Buscas por desaparecidos continuam nas Filipinas após passagem do tufão Mangkhut
19/09/2018 | Noiva morre após acidente com trator durante despedida de solteira na Áustria
18/09/2018 | Justiça da África do Sul legaliza o consumo privado de maconha
As mais lidas de Internacional
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6409 dias no ar.