NOTÍCIA ANTERIOR
Morre primeiro paciente que recebeu transplante de mãos e rosto
PRÓXIMA NOTÍCIA
Por acaso, brasileiros descobrem nova fonte de células-tronco
DATA DA PUBLICAÇÃO 16/06/2009 | Saúde e Ciência
Instituto Adolfo Lutz detecta mutação no vírus da gripe suína em SP
O Instituto Adolfo Lutz, ligado ao governo do Estado de São Paulo, conseguiu isolar o vírus da gripe suína, como é chamada a gripe A (H1N1), e detectou uma nova "estirpe" da doença no Brasil. Os técnicos brasileiros perceberam um padrão diferente para o vírus daquele que foi registrado pelo CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos) com base em amostras retiradas de pacientes da Califórnia.

Segundo pesquisadores do Adolfo Lutz, foi detectado, por intermédio de sequenciamento genético, que houve mutação na proteína hemaglutinina (o "H" da sigla), responsável pela capacidade de infecção do vírus. A variação revelada passa a ser chamada de Influenza A/São Paulo/H1N1.

De acordo com a Secretaria do Estado da Saúde, o vírus da gripe suína foi fotografado pelo setor de microscopia eletrônica do instituto, a imagem do vírus foi ampliada em 200 mil vezes, por meio de um equipamento que possui a capacidade de aumentar esse tipo de imagem em até 1 milhão de vezes.

Os técnicos do Adolfo Lutz afirmam que o isolamento do vírus da gripe suína irá contribuir para a produção da vacina e detectar a resposta aos medicamentos antivirais. Ainda é cedo, entretanto, para avaliar o que a mutação venha a significar em termos de virulência, o quanto ela pode ser deletéria, e de capacidade de infecção.

Pandemia

Na última quinta-feira (11), a OMS (Organização Mundial da Saúde) informou aos países-membros a existência de uma pandemia (epidemia generalizada) de gripe suína. O motivo foi a abrangência da doença, que já atingiu diversas regiões do mundo, e não a periculosidade do vírus.

O Ministério da Saúde confirmou nesta segunda-feira (16) mais cinco casos de gripe suína no Brasil, elevando para 74 o número de casos confirmados. De acordo com a pasta, quatro casos foram confirmados em São Paulo, Estado com o maior número de contaminações confirmadas, e um no Distrito Federal.

Segundo o governo, todos os pacientes estão em tratamento e passam bem. Não foram informados detalhes sobre os casos.

Os Estados que possuem casos confirmados de contaminação pela gripe suína são: São Paulo (27), Santa Catarina (17), Rio de Janeiro (10), Minas Gerais (9), Tocantins (4), Distrito Federal (3), Mato Grosso (2), Bahia (1) e Rio Grande do Sul (1).

Sem vacina

O laboratório Novartis afirmou ontem que, em oposição a um pedido da OMS, não vai distribuir gratuitamente aos países mais pobres a vacina que produziu para combater a gripe suína.

A declaração foi feita por Daniel Vasella, conselheiro do laboratório, ao jornal "Financial Times". Segundo Vasella, o grupo suíço poderia estudar a possibilidade de reduzir o custo das vacinas para estes países, mas não está disposto a entregar o remédio sem custo algum.

"Se pretendem que a produção [das vacinas] seja sustentável, têm que criar incentivos financeiros", disse Vasella, acrescentando que os próprios países em desenvolvimento ou os países ricos devem pagar pelas vacinas com seus programas de ajuda humanitária.

Por Clayton Freitas - Folha Online
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Saúde e Ciência
20/09/2018 | Campanha contra sarampo e poliomielite segue na região
19/09/2018 | É melhor dormir com ou sem meias?
19/09/2018 | Forma de andar mostra os vícios de postura
As mais lidas de Saúde e Ciência
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6193 dias no ar.