NOTÍCIA ANTERIOR
Descubra por que Istambul, na Turquia, conquista turistas
PRÓXIMA NOTÍCIA
Deixe grafites e esculturas guiarem seu passeio por São Paulo
DATA DA PUBLICAÇÃO 05/09/2010 | Turismo
Hóspede endinheirado pode ter chef e pianista particular em hotéis de luxo
Quanto custa passar uma noite em um hotel de luxo à beira do Mediterrâneo? Se a acomodação tiver 1.000 m2, quatro suítes, duas saunas, duas salas de jantar, duas jacuzzis no terraço e vista para mar, o valor pode chegar a 36 mil euros (cerca de R$ 80 mil).

"O Martinez tem uma das maiores suítes de Cannes", assegura Carlos Henrique Abatayguara, representante de vendas do grupo Concorde Hotéis. Quase 34 vezes menor (30 m2), o quarto mais econômico do hotel sai por 590 euros (R$1.313).

Em Genebra, uma noite no President Wilson, com mordomo, chef de cozinha e pianista particulares pode custar US$ 65mil (R$114 mil). "A suíte ocupa todo o último andar, tem quatro quartos e seis banheiros", diz Tereza Ferrari, dona da agência de turismo de mesmo nome.

Não é preciso ir longe para dormir em meio ao luxo. Na capital paulista, a acomodação presidencial do Tivoli Mofarrej, com 750 m2, sai por R$ 22 mil. São três suítes, living, sala de jantar e cozinha.

Uma noite em Milão, na Galleria Vittorio Emanuele 2º, custa 6.500 (R$ 14.468) se a sua opção for o quarto de 160 m2 do hotel Seven Stars Galleria. Detalhe: você terá direito a um mordomo.

Pela Tereza Ferrari, passar a noite na "Palace Suite", no Emirates Palace Abu Dhabi, com 680 m2, custa US$ 10.500 (R$18.427).

Na Selections, a dica é o North Island Resort, nas Seychelles. "Só chega-se de helicóptero. Mordomos e minijipes ficam à disposição 24 horas", diz Eduardo Gaz, dono da operadora. As diárias custam entre 2.115 e 3.340 euros (R$ 4.708 e R$7.435).

Brega ou chique

A reportagem falou com as arquitetas Raquel Silveira, 47, e Marina de Sabrit, 56, e com a psicanalista Eleonora Rosset, 64, e perguntou: "Em quartos luxuosos, o que é brega? E chique?".

Para Raquel, cópias de pinturas famosas são o que há de mais brega.

Marina de Sabrit concorda: "Não existe algo que me incomode mais do que quadros com pretensas obras de arte". Quanto ao que é chique, ela acha que quando mais "clean", melhor. "Edredom e travesseiros de pluma de ganso são obrigatórios."

Para Eleonora Rosset, chique e brega são conceitos subjetivos. "O que é chique para um pode ser brega para outro. Para mim, chique é silêncio, decoração confortável e um serviço eficiente e discreto. Um vaso com flores sempre frescas é um luxo."

Por Rafael Mosna - Colaboração para a Folha
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Turismo
18/09/2018 | Brasileiros precisarão de autorização de viagem para entrar na Europa a partir de 2021
17/09/2018 | Halloween Horror Nights 2018, do Universal Orlando, já está aberto
31/08/2018 | Campos do Jordão para crianças
As mais lidas de Turismo
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6328 dias no ar.