NOTÍCIA ANTERIOR
Aluna morre de infarto ao ver briga na porta da escola
PRÓXIMA NOTÍCIA
Faixas da Perimetral serão interditadas ao tráfego a partir deste sábado
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/02/2009 | Setecidades
Família não aceita morte de jovem
Doce, inteligente e alegre. Assim era vista Thammyres Maria Pereira Fernandes, 15 anos, encontrada morta no último domingo, em Ribeirão Pires, por todos que a conheciam.

Sempre sorrindo, a adolescente, que morava com os pais e dois irmãos no bairro Ouro Fino, tinha muitos amigos. Estudante da Escola Estadual Casemiro da Rocha, onde se formou no ano passado no Ensino Fundamental, Thammyres era querida pelos professores. "Até a diretora da escola compareceu ao velório ontem (anteontem)", disse o pai Danilo Barros Pires, 48 anos.

O clima na casa de Thammyres ontem era de muita tristeza. Até os cachorros, que costumam fazer festa para quem chega, estavam quietos. A mãe da jovem, Elaine Cristina Lemos Pereira, 45, está inconformada com a forma cruel que a filha foi morta. "Só queria entender porque fizeram isso com minha filha. Ela não merecia isso. Já não tenho mais lágrimas para chorar", disse.

A irmã mais velha, Juliana Pereira Fernandes dos Santos, 24, lembra das brincadeiras que tinha com Thammyres. "Nunca a vi de cara feia ou emburrada. Estava sempre brincando. Muitas vezes ela me ajudava a tomar conta dos meus filhos. Às vezes, saía do lava rápido onde trabalhou e ia para minha casa. Assim, economizava o dinheiro do ônibus", contou.

Uma das amigas de Thammyres, que trabalhou com ela no lava rápido e pediu para não ser identificada, lembra dos momentos alegres que viveu com a adolescente. "Ela estava sempre cantando. Nunca a vi triste", disse.

O proprietário do lava rápido onde a jovem trabalhou durante as férias, Victor Guilherme, 25, disse que Thammyres era uma garota meiga e que gostava de carinho. "Como ela voltaria à escola na segunda-feira, no sábado foi o último dia que trabalhou. Ela estava sempre pedindo atenção", disse.

A mulher de Guilherme, a comerciante Giseli Amori, 25, descreveu a adolescente como uma garota cheia de sonhos. "Imagina uma garota linda, com muitos planos e vontade de viver. Assim era a Thammyres", afirmou.

Testemunha diz ter visto suspeito

A polícia começou a ouvir ontem parentes e amigos de Thammyres Maria Pereira Fernandes, 15 anos, que foi encontrada morta no último domingo na Estrada do Soma, no Jardim dos Eucaliptos, em Ribeirão Pires. O irmão da vítima, Diego Pereira Fernandes, 21 anos, e o pai, Danilo Barros Peres, 48, foram os primeiros a prestarem depoimentos.

Em suas declarações, os dois disseram que Thammyres era calma, não tinha inimigos e semanalmente frequentava a igreja evangélica Avivamento Bíblico, próximo à sua casa. Uma amiga que trabalhou com a jovem em uma lava rápido também esteve na delegacia para prestar depoimento.

Thammyres foi encontrada parcialmente despida da cintura para baixo com uma calça amarrada ao pescoço. Esses sinais podem indicar que a jovem tenha sofrido violência sexual, mas só o laudo do IML (Instituto Médico-Legal) poderá esclarecer se houve estupro ou não.

A polícia também ouviu uma testemunha que diz ter presenciado uma pessoa sair correndo com uma roupa suja de barro próximo ao local do crime.

Por Fabiana Chiachiri - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
25/09/2018 | Acidente na Tibiriçá termina com vítima fatal
25/09/2018 | Santo André quer tombar 150 jazigos de cemitérios municipais
21/09/2018 | Região ganha 13 mil árvores em um ano
As mais lidas de Setecidades
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2021 - Desde 2003 à 6845 dias no ar.