NOTÍCIA ANTERIOR
Área do Rhodia deve receber Poupatempo
PRÓXIMA NOTÍCIA
Montadoras fazem feirões de carros e financiamento chega a 80 meses
DATA DA PUBLICAÇÃO 05/02/2010 | Economia
Estado libera R$ 3,5 mi a Apaes e Amas do ABC
Seis instituições assistênciais do ABC responsáveis em educar crianças e adolescentes com deficiência receberão da Secretaria do Estado da Educação mais de R$ 3,5 milhões. Além do desenvolvimento educacional dos estudantes, os recursos auxiliarão no pagamento de professores, diretores e coordenadores pedagógicos. Na região, o número de alunos beneficiados será de mais de 1,5 mil.

“O valor é significativo, mas ainda insuficiente. Por aluno, dá média de R$ 196 ao mês, sendo que ainda temos de retirar o pagamento de todo o pessoal”, lamentou Lair Moura Jusevicius, presidente da Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência de Ribeirão Pires (Apraespi). Segundo a presidente, o recurso anual é assegurado às Apaes graças a alteração na Constituição Estadual de 2001.

Dentre as instituições beneficiadas estão a Associação Metodista de Ação Social (Amas) e Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Caetano que juntas atendem 361 pessoas com deficiência; Apae de Santo André (300 alunos); Apae de Diadema (292 estudantes); Apraespi de Ribeirão Pires (490 alunos); e Apae de Rio Grande da Serra (69 estudantes). Todas oferecem atendimento pedagógico e educacional para alunos com deficiência motora, visual, mental ou auditiva, além de estudantes com autismo.

A verba é dividida em quatro parcelas e a primeira deverá ser liberada em março. Por atender mais alunos, a Apraespi será a entidade que receberá a maior parte do recurso. No total serão R$ 1,1 mi. Depos vem a Apae Santo André (R$ 707 mil) seguida pelas Apaes Diadema (R$ 688 mil), São Caetano (R$ 678 mil), a Amas de São Caetano (R$ 172 mil) e Apae de Rio Grande da Serra (R$ 162 mil).

Lair explica que o convênio com o Estado prevê que as Apaes façam o atendimento de de pessoas com deficiência de zero a 30 anos. “É errado impor limite de idade, pois muitos não tiveram oportunidade de estudar quando jovem”, desabafou. Durante o período educacional, os estudantes podem cursar a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e cursos profissionalizantes.

Por Raphael Di cunto - Diário Regional
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6332 dias no ar.