NOTÍCIA ANTERIOR
Vereadora pode sofrer processo criminal
PRÓXIMA NOTÍCIA
Eleição deve aumentar número de políticos em eventos do Fórum Social
DATA DA PUBLICAÇÃO 23/01/2010 | Política
Entidades contestam agência de Santo André
A agência de comunicação Faro Promoções e Eventos, contratada pela Prefeitura de Santo André para realizar a publicidade e propaganda da Administração, não é registrada em nenhuma das entidades que regulam o setor. A licitação para a escolha da Faro, fiscalizada pelo secretário de Comunicação, Alexssander Soares, é contestada pelos dois órgãos nacionais representantes das agências publicitárias: a Abap (Associação Brasileira das Agências de Publicidade) e a Fenapro (Federação Nacional das Agências de Propaganda).

A agência não possui registro no Cenp (Conselho Executivo das Normas-Padrão) – entidade que define as condutas e regras éticas e comerciais na publicidade –, documento exigido na maioria dos processos licitatórios, e também não é cadastrada no Sinapro (Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo).

“A lei de licitações (8.666, artigo 30, inciso um) exige que a agência esteja vinculada a uma entidade de classe. Logo, se faz necessário o registro no Cenp ou no Sinapro. Vencer uma licitação sem estes documentos é anormal. Esta agência pode aplicar mal o dinheiro público”, afirma Paulo Gomes, advogado da Abap e do Sinapro.

“Não é aconselhável trabalhar com uma agência sem certificado do Cenp. É imoral, pois o credenciamento no Cenp demonstra que a agência possui condições técnicas para realizar os serviços. Alguma agência ou o próprio sindicato deve entrar com uma ação para refazer a concorrência”, explica Humberto Mendes, vice-presidente executivo da Fenapro.

Ainda de acordo com as entidades, os jornais que receberem as publicidades da Prefeitura ficam impedidos de conceder os 20% de honorários por anúncio à agência que não estiver certificada pelo Cenp.

Processo - Paulo Gomes acredita que a denúncia deve ser levada ao MP (Ministério Público). “Qualquer cidadão poderia entrar com uma ação popular no MP, alegando que a licitação estaria viciada, pois a agência não possui qualificação para realizar os serviços pagos com o dinheiro público.”

A Faro foi fundada em dezembro de 2007. Atualmente, a agência possui cinco sócios: Roberto Estorino da Silva, Cristiano Estorino Maia, Fabiano Hercílio Estorino da Silva, Antônio Vicente Estorino da Silva e Orlando Estorino da Silva. Nenhum deles foi encontrado pela reportagem.

A Administração não cobrou o registro do Cenp das agências de publicidade participantes do processo.
A assessoria de imprensa da Prefeitura de Santo André afirmou que não se pronunciará sobre o assunto.

Erros - O ABCD MAIOR já revelou problemas nas peças publicitárias produzidas pela Faro. Na última semana, a Prefeitura colou adesivos com o brasão municipal em banners irregulares. O valor do contrato com a Prefeitura é de R$ 6 milhões para um período 12 meses.

Por Júlio Gardesani - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Política
25/09/2018 | Bolsonaro inicia dieta branda e faz caminhada fora do quarto, diz boletim
21/09/2018 | Bolsonaro diz nunca ter cogitado volta da CPMF e fixa postagem no seu Twitter
20/09/2018 | Ibope: Em São Paulo, Bolsonaro se isola com 30% das intenções de voto
As mais lidas de Política
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6333 dias no ar.