NOTÍCIA ANTERIOR
No Brasil, 75% das adolescentes que têm filhos estão fora da escola
PRÓXIMA NOTÍCIA
Antes da posse, novo ministro do MEC diz que teve ''semana intensa''
DATA DA PUBLICAÇÃO 02/04/2015 | Educação
Em meio a batalha na Justiça, Fies chega a 210 mil pedidos de inscrição
Liminar obtida pelo MPF-MG garante a manutenção das regras de 2014.

Governo já derrubou outras decisões da Justiça.


O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) registra mais de 210 mil solicitações de estudantes desde o início do período de inscrições, em fevereiro, segundo nota divulgada nesta quarta-feira (1º) pelo governo federal. O programa está no meio de uma disputa judicial entre o Ministério da Educação e o setor privado, que nas últimas semanas obteve na Justiça liminares para anular as novas regras. O MEC já derrubou a maioria dessas liminares.

As novas regras do Fies entraram em vigor nesta segunda-feira (30) para novos contratos. Agora, para fazer a inscrição, o estudante deverá ter nota mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio e não ter tirado nota zero na redação.

O prazo de inscrição e também para o pedido de aditamento de contrato de quem já tem o Fies termina no dia 30 de abril mas, segundo o governo, poderá ser estendido. As inscrições devem ser feitas no site do Fies. Caso ocorram problemas para fazer a inscrição ou o aditamento do contrato de financiamento, os estudantes devem entrar em contato com a central telefônica gratuita (0800-616161).

Batalha judicial
O Ministério Público em Minas Gerais (MPF-MG) obteve liminar que garante aos alunos inscritos no Fies, programa federal de financiamento estudantil, a renovação de seus contratos de acordo com as regras vigentes em 2014.

A decisão, segundo o MPF, vale para o território nacional e garante que alunos já inscritos no Fies não sejam atingidos pelas mudanças implementadas pelo governo federal que começaram a ser cobradas na segunda-feira. Segundo o Ministério Público, o objetivo da ação foi o evitar que as faculdades impedissem alunos já matriculados, mas que ainda não conseguiram o financiamento pelo Fies ou que não conseguiram aditar seus contratos, de participar das atividades acadêmicas.

Em outra decisão também nesta terça-feira, a Justiça Federal do Espírito Santo concedeu liminar que autoriza renovações e aditivos do fundo de financiamento estudantil para contratos acertados no Estado com reajuste superior a 6,41 por cento.

A Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) orientou que os sindicatos estaduais entrassem com suas próprias ações na Justiça contra as novas regras do Fies.

O MEC informou que ainda não foi notificado, e sua assessoria de imprensa ressaltou que a decisão está suspensa por conta da decisão favorável ao MEC do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que vale para Minas Gerais.

O Ministério da Educação conseguiu na Justiça derrubar as liminares que suspendiam as novas regras do Fies e, segundo a pasta, a decisão também anula esta medida da.

Muitos estudantes reclamaram das dificuldades para se inscrever no Fies. O MEC alegou problemas na grande demanda de acesso ao sistema de inscrição.

O Fies já acumula 1,9 milhão de contratos. O programa permite ao estudante cursar uma graduação em uma instituição particular e, depois de formado, pagar as mensalidades a uma taxa de juros de 3,4% ao ano. O aluno só começa pagar após 18 meses de concluído o curso.

Por G1, em São Paulo
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Educação
21/09/2018 | Ensino superior cresce no País, mas graças à modalidade a distância
19/09/2018 | Em crise financeira, UFABC tenta definir objetivos para 2019
18/09/2018 | Cidade francesa muda pátio de pré-escola para favorecer a igualdade de gênero
As mais lidas de Educação
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6196 dias no ar.