NOTÍCIA ANTERIOR
Pela difusão literária, tenda cultural chega a Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
Donisete assume 2º lugar em Mauá e Atila atinge liderança
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/12/2015 | Cidade
Dos tempos da cidade-dormitório
Na sequência da Semana Mauá, a lembrança da cidade-dormitório, cuja fama vai-se perdendo no tempo. ‘Dormitório’ porque o forte dos habitantes morava e trabalhava fora.

Um dos nossos guias desta semana, Paulo Ahlers, quando chegou a Mauá, no início dos anos 1950, encontrou uma cidade ainda sem os seus dois polos industriais, em Capuava e Sertãozinho, e apenas com várias indústrias de cerâmica e porcelana. Por isso, depois de trabalhar no Rio de Janeiro, atuou em São Paulo e, na sequência, em São Bernardo, na Mercedes-Benz.

As fotos de hoje são um tesouro – e se inserem na história da indústria automobilística nacional. E o texto da professora Silvia Ahlers, filha de Paulo Ahlers, complementa o que nos contou o historiador de Eldorado, Amaury Martins de Carvalho, na Semana Diadema de ontem. A história dos reflexos da Segunda Grande Guerra no Brasil.

O drama de ser alemão

Texto: Silvia Ahlers

Paulo Ahlers começou a trabalhar na Mercedes-Benz porque tinha experiência na fábrica Montana, no Rio de Janeiro, como metalúrgico, e também fala e escreve em alemão.

Quando ele estudou na Vila Mariana, era permitido alfabetizar em português e alemão, o que foi proibido durante um período na Segunda Guerra Mundial. O pai dele, Erich Ahlers (eletricista), sempre teve muito medo do comunismo, por isso nunca comprou nenhuma casa ou terreno.

Meu avô foi preso durante a guerra no Dops em São Paulo, já que os alemães eram suspeitos de espionagem. Foi solto e morreu logo em seguida.

A mãe de Paulo (Anna Sandcker) pediu para o filho achar um terreno próximo da estação de trem. Ele veio para Mauá com a irmã Érica Ahlers e a mãe. Aqui mora até hoje. Anna e Érica trabalharam na Porcelana Mauá como operárias.

Meu pai, na Mercedes Benz, sempre trabalhou na seção de câmbio. O teste do motor dos veículos era feito dentro da fábrica mesmo. Aquela fumaça do escapamento ia para dentro da seção. Ele ainda fumava, como se vê em uma das fotos, o que rendeu infartos em série dentro da seção de câmbio.

AS FOTOS

1 – Quando a Mercedes Benz conseguiu produzir 1.000 câmbios nacionais. A foto não tem data. De Paulo Ahlers só aparece a cabecinha lá atrás, quarto em pé da direita para a esquerda.

2 – Quando a fábrica fez 200 mil câmbios nacionais (1974): Paulo está logo atrás do senhor de blusa preta.

3 – Dia de trabalho, no Natal, para colocar o serviço em dia. Sem data. Aparecem os mestres, contramestre e o engenheiro. Paulo, o primeiro à direita.

Amanhã em memória

- Negócios com lenha.

- As festas da Boa Viagem.

- Lá vêm as professoras, em uma jardineira.

Diário há 30 anos

Quarta-feira, 18 de dezembro de 1985 - ano 28, nº 6010

Manchete – Indústria prevê crescimento de 12%

Santo André – Prefeito Newton Brandão reconhece que falha causou tragédia no caso do bueiro de Vila Palmares. Corpos de Adriana e Alexandre ainda sob as águas.

- Despejos no Jardim do Estádio continuam. Agora sob um clima mais tranquilo.

Em 18 de dezembro de...

1915 – Vão ser criadas mais duas escolas masculinas no município de São Bernardo, no Alto da Serra (Paranapiacaba) e na Estação São Caetano.

Localidades possuem população escolar bastante elevada e que não recebe instrução por falta de lugares nas escolas existentes.

- A guerra. Do noticiário do Estadão: ‘Chegada de 40 mil prisioneiros austro/alemães e búlgaros na Marselha’.

1953 – Promulgada a lei estadual número 1.420, que cria a Comarca de Santo André, com abrangência sobre toda a região.

1975 – Uma placa em homenagem ao centenário da imigração italiana no Brasil é inaugurada no monumento dedicado à colônia, na Avenida Perimetral, em Santo André.

2005 – O São Paulo FC ganha do Liverpool e conquista o terceiro título mundial.

Hoje

Dia Internacional do Migrante

Município Paulista

Aniversaria hoje: Sete Barras. Elevado a município em 1959, quando se separa de Registro.

Santos do Dia

- São Vunibaldo (701–761). Nobre de coração e de linhagem. Filho de Ricardo, rei da Inglaterra, e irmão de Vilibaldo e Valburga, também santificados pela igreja.

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza

- Nossa Senhora da Expectação do Ó

- Basiliano

- Flamano

- Rufo

Por Ademir Medici - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
03/02/2020 | Com um caso em Santo André, São Paulo monitora sete casos suspeitos de Coronavírus
25/09/2018 | TIM inaugura sua primeira loja em Mauá no modelo digital
As mais lidas de Cidade
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6335 dias no ar.