NOTÍCIA ANTERIOR
Com Kaká e Damião, CBF divulga os sete suplentes para a Copa América
PRÓXIMA NOTÍCIA
Inscrição para etapa de São Bernardo do Circuito começa hoje
DATA DA PUBLICAÇÃO 13/05/2015 | Esportes
Corinthians joga pela sobrevivência
É inegável o clima de tensão que se instalou no Corinthians após a derrota para o Guaraní, do Paraguai, no dia 6, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Se antes tratavam o adversário com certo desleixo, ontem, a seriedade mostrada pelo técnico Tite, jogadores e diretores evidenciava que o time estava em véspera de decisão. Não é para menos. Após perderem por 2 a 0, em Assunção, os brasileiros precisam vencer o rival, hoje, às 22h, na Arena em Itaquera, por três gols de diferença para não precisar dos pênaltis.

Todos os recursos foram utilizados pelo Corinthians. Desde a presença da torcida no treinamento de ontem (leia mais ao lado) até o contato mais próximo do presidente Roberto de Andrade, que concedeu entrevista coletiva para tentar amenizar os efeitos que o atraso nos salários dos jogadores tem causado no rendimento do time.

Se antes os atletas pareciam desconhecer do que o Guaraní era capaz, desta vez o discurso de respeito mútuo ao adversário parecia ensaiado. Tite não abdicou de trabalhar exaustivamente as descidas ao ataque utilizando as laterais, as bolas cruzadas na área desde a intermediária e até cobranças de pênaltis, projetando o desfecho mais dramático possível.

Curioso foi perceber a reação da torcida em relação ao goleiro Cássio, que falhou feio no primeiro jogo ao aceitar chute fraco em cobrança de falta do atacante paraguaio Frederico Santander, que abriu o caminho da vitória. Com crédito, o arqueiro foi aplaudido na entrada ao gramado, mas durante o treino cometeu mais um erro bisonho, ao deixar bola chutada à meia altura por Elias passar entre as duas mãos, o que imediatamente reacendeu a preocupação dos torcedores.

No treino, pôde-se perceber principalmente que Tite quer muita agilidade na transição da defesa ao ataque. O treinador trabalhou bastante as cobranças de faltas e escanteios contra a defesa corintiana, onde os jogadores que não estavam na região em que a bola cairia partiam sincronizadamente em disparada na tentativa de armar o contra-ataque, tática que pode ser decisiva na partida.

A única novidade na equipe é a entrada do atacante Malcom na vaga de Emerson, que terá de cumprir mais dois jogos de suspensão pela expulsão contra o São Paulo, ainda na primeira fase. A jovem revelação das categorias de base ganhou a briga pela posição de titular com o colombiano Mendoza, que vai ficar como opção no banco. Vagner Love nem foi relacionado para o duelo – perdeu a disputa com Romero.

Torcida comparece ao treino e enche jogadores de confiança

Os mais desavisados podiam deduzir que o Corinthians estava jogando na Arena em Itaquera, ontem à tarde, tamanha festa que a torcida fez no último treino da equipe antes de encarar o Guaraní, do Paraguai. Foram 7.000 pessoas que deixaram os compromissos de um dia útil de lado e doaram uma peça de agasalho para ver de perto a preparação do time.

A aproximação mexeu com os atletas. “Os torcedores nunca nos deixaram na mão. Queremos retribuir a confiança buscando a vaga nas quartas de final da Libertadores. Costumo dizer que a única torcida que ganha verdadeiramente um jogo é a do Corinthians e já tive exemplos disso”, comentou o lateral-esquerdo Fábio Santos.

O presidente Roberto de Andrade também elogiou a postura dos corintianos. “Foi fantástico o que eles fizeram aqui hoje (ontem). Deram seu recado e tenho certeza que encheram os jogadores de confiança”, ressaltou.

O mandatário, porém, evitou projetar o cenário de uma possível eliminação e o iminente risco de invasão de campo ao fim do jogo, proporcionado pela quase inexistente divisão entre a torcida e o gramado. “Não penso nessa possibilidade. Quero focar apenas na classificação para as quartas de final”, despistou Andrade.

Derrota hoje faz Timão deixar de lucrar ao menos R$ 5,4 mi

A iminente eliminação do Corinthians na Copa Libertadores, hoje, às 22h, na Arena, para o Guaraní do Paraguai, não significa apenas o fim do sonho do bi, mas impede o clube de lucrar, ao menos, R$ 5,4 milhões, que na atual conjuntura financeira são altamente representativos. O dinheiro é a soma da média da bilheteria nos jogos da equipe como mandante no torneio (R$ 3,4 milhões) mais a premiação da Conmebol aos times que atingem às quartas de final (R$ 2 milhões).

A conta é das mais pessimistas. No caso de chegar à final, o Timão embolsaria R$ 21,4 milhões, isso mantidos os atuais valores cobrados nos ingressos, que tendem a valorizar na decisão. O montante daria e sobraria para quitar o que exige o peruano Paolo Guerrero (R$ 18 milhões) para renovar o contrato que vence em julho.

A situação financeira do time é tão preocupante que ontem o presidente Roberto de Andrade deixou claro que todos os jogadores são negociáveis. “Todo mundo está à venda. Basta pagar o que queremos e o atleta desejar defender o time pretendido”, ressaltou.

Andrade havia prometido quitar os direitos de imagens dos jogadores até ontem, mas outra vez não cumpriu com a palavra. A diretoria não fala em números, mas o atraso chega há pelo menos dez meses.
Mesmo em crise financeira, o dirigente não acredita que isso possa interferir. “Nunca vi jogador ficar de frente para o gol e chutar para fora por causa de salário”, disse Andrade.

Torcida corre o risco de voltar a pé para casa em caso de pênaltis

O torcedor do Corinthians terá de torcer duplamente para o duelo com o Guaraní não ir para a disputa de pênaltis. Primeiro, por conta da dramaticidade que os tiros livres provocam. Segundo, por conta do horário e a volta para casa, que seria ainda mais complicada.

Em julho de 2014, ficou acertado que tanto a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) como o Metrô estenderiam o horário da última composição que sai da Estação Itaquera para 0h30 em dias de jogos na Arena. O problema é que, como o confronto de hoje começa às 22h, no caso de penalidades certamente vai terminar depois da meia-noite e dificilmente os torcedores teriam tempo para chegar às estações, tendo de perder o melhor do espetáculo ou ir a pé para casa.

O Diário procurou a CPTM e o Metrô para saber se haveria mudança no horário de partida das composições, mas não obteve resposta.

Guaraní perde o voo e atacante diz que esperava mais do Corinthians

Problema na documentação do voo fretado que traria o elenco do Guaraní para São Paulo mudou completamente a programação do time paraguaio, que até o fechamento desta edição ainda não tinha desembarcado no Brasil. A previsão era de que a equipe chegasse a Cumbica, em Guarulhos, por volta das 2h de hoje.

Com o contratempo, o treino de conhecimento da Arena Corinthians, que seria realizado ontem à tarde, teve de ser cancelado e não será mais realizado, ou seja, o Guaraní não terá nenhum contato com o gramado do estádio, que deve ser molhado antes de a bola rolar para ficar mais rápido.

Ainda no Paraguai, o atacante Frederico Santander, que marcou o gol de falta no primeiro duelo das oitavas de final, contando com falha de Cássio, e tem seis na Libertadores, sendo o vice-artilheiro, confessou que esperava mais do Timão no jogo de ida, em Assunção.

“Para mim, (o Corinthians) foi menos do que esperava. Mas jogamos bem e fechamos o espaço porque sabíamos que se deixássemos a bola com eles, iriam crescer no jogo”, comentou Santander, segundo o Jornal ABC.

Por Anderson Fattori - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Esportes
21/09/2018 | Tite convoca Pablo, Walace e Malcom para duelos contra Arábia Saudita e Argentina
20/09/2018 | Real Madrid atropela a Roma por 3 a 0 e inicia bem a luta pelo tetracampeonato
18/09/2018 | Jogador de vôlei que jogou em Santo André é encontrado morto na Espanha
As mais lidas de Esportes
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2022 - Desde 2003 à 6893 dias no ar.