NOTÍCIA ANTERIOR
Chuva atinge Grande ABC e atrapalha motoristas
PRÓXIMA NOTÍCIA
Confira o que abre e fecha no Natal e Ano Novo
DATA DA PUBLICAÇÃO 22/12/2016 | Setecidades
Chuva paralisa trens da CPTM e provoca alagamentos na região
Chuva paralisa trens da CPTM e provoca alagamentos na região Foto: Denis Maciel/DGABC
Foto: Denis Maciel/DGABC
Pelo segundo dia consecutivo, moradores do Grande ABC, em especial de Santo André, enfrentaram problemas no retorno para casa após forte chuva atingir a região na tarde de ontem. O temporal de menos de uma hora ocasionou alagamentos em ao menos quatro pontos divididos entre Santo André e São Bernardo e também foi responsável por transbordar córrego e piscinão no território andreense. Trânsito intenso em vias centrais, paralisação no sistema da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e a queda de energia elétrica em diversos bairros completaram os estragos ocasionados pela tempestade.

Assim como já havia ocorrido na terça-feira, a falta de manutenção em podas de árvores ficou evidente. Houve queda de um vegetal em Santo André, na Avenida Atlântica. Nos últimos dois dias já foram contabilizados nove incidentes do tipo em razão da forte chuva.

A falta de manutenção e limpeza em córregos e piscinões foi outro item colocado em prova com o temporal registrado ontem. Ainda no município andreense, houve ao menos dois pontos de alagamento. Um na Avenida Industrial, próximo ao Parque Celso Daniel, no bairro Jardim, e na Rua Alvares de Azevedo, no Centro.

Em Santo André, o Córrego Tijuco Preto, no cruzamento da Avenida Capuava com a Rua Leonardo da Vinci, bairro Capuava, e também o Piscinão Vila América transbordaram durante o temporal.

CPTM

Usuários do transporte público novamente precisaram ter paciência. Embora a CPTM esteja investindo cerca de R$ 900 mil em duas obras de drenagem entre as estações Utinga e Prefeito Saladino da Linha 10-Turquesa como forma de reduzir a incidências de alagamentos na região durante o período de chuvas, ambas se mostraram incapazes de suportar o volume de água que caiu.

Passageiros do sistema foram obrigados a aguardar por pelo menos uma hora até que o temporal amenizasse. O serviço foi restabelecido às 19h.

CAOS

Em virtude da baixa visibilidade ocasionada pela tempestade de ontem, motoristas precisaram reduzir a velocidade, o que agravou ainda mais o já saturado sistema viário da região. Trânsito intenso foi registrado nas principais vias do Grande ABC.

Motoristas de Santo André enfrentaram tráfego lento nas avenidas dos Estados, Perimetral, Santos Dumont, Pereira Barreto e Industrial. Em São Bernardo, vias próxima ao Paço registraram lentidão.

Quem seguia sentido Mauá, pela Avenida Giovani Battista Pirelli, em Santo André, também precisou ter paciência com o alto fluxo de veículos.

O trânsito só foi normalizado por volta das 20h.

A previsão do tempo para hoje é de céu parcialmente nublado e mais chuva, provavelmente no fim da tarde. A temperatura deve variar entre 18°C e 31°C.

Moradores ficam mais de 24 horas sem energia

Alguns bairros da região ficaram mais de 24 horas sem energia elétrica em razão do temporal da terça-feira. Exemplo pôde ser observado na Avenida Adolfo Bastos, na Vila Bastos, em Santo André, onde fios elétricos foram rompidos, deixando pedestres em risco.

De acordo com o síndico de um dos prédios da via, que ficou sem energia entre 16h de terça-feira e pelo menos 17h de ontem, Edgar Azzolini, 78 anos, o problema é constante na região. “A chuva e o vento forte empurram a árvore em cima dos fios”, afirmou. O síndico também reclamou da demora para que a AES Eletropaulo enviasse equipe para, ao menos, verificar o problema. “A situação já é crítica, porque o prédio fica sem água, já que a bomba não funciona sem energia elétrica”, completou.

Para o aposentado Adolfo Marques, 79, também morador da área, o descaso com a população é grande. “Estou com o freezer cheio de alimentos. Já faz um dia que estamos sem energia. Quem arca com esse prejuízo?.”

No Rudge Ramos, em São Bernardo, a situação não foi diferente. A Rua Amadeu Gianotti também ficou entre 16h de terça-feira e pelo menos 17h de ontem. O veterinário Osmar Kimura, 39, disse que precisou acionar a AES Eletropaulo por cinco vezes. “É situação triste. Não consigo nem fazer meus relatórios do trabalho”, contou.

Também em Santo André, no bairro Santa Terezinha, uma árvore da Rua Guararapes está em risco de cair. De acordo com a auxiliar administrativa Vanessa Santos, 32, a chuva forte de terça-feira piorou a situação. “Já tinha pedido para a Prefeitura realizar a poda, mas nada foi feito. A árvore tombou nos fios e pode cair a qualquer momento”, disse.

A AES Eletropaulo informou que encaminhou equipes para verificar as ocorrências, todas resultantes do temporal de terça-feira, na tarde de ontem.

Por Daniel Macário e Victor Hugo Storti - Especial para o Diário
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Setecidades
25/09/2018 | Acidente na Tibiriçá termina com vítima fatal
25/09/2018 | Santo André quer tombar 150 jazigos de cemitérios municipais
21/09/2018 | Região ganha 13 mil árvores em um ano
As mais lidas de Setecidades
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6230 dias no ar.