NOTÍCIA ANTERIOR
Comércio eletrônico espera faturar R$ 28 bilhões até o final do ano
PRÓXIMA NOTÍCIA
Cestas de Natal vão de R$ 25,90 a R$ 3.000
DATA DA PUBLICAÇÃO 15/12/2013 | Economia
Ceia de Natal atrai clientes a restaurante
Ceia de Natal atrai clientes a restaurante Foto: Denis Maciel/DGABC
Foto: Denis Maciel/DGABC
Passar a noite de Natal em um restaurante é mais comum a cada ano que passa. Sinal disso é que há estabelecimentos tradicionais da região que já estão com 100% da ocupação reservada. Quem planeja jantar fora no dia 24 precisa ligar o quanto antes para ainda conseguir uma mesa. Aliás, a regra também vale para os dias 25, 31 e 1º. A razão dessa forte procura tem a ver, sobretudo, com vantagens como o conforto, diversidade no cardápio e diversão que os restaurantes proporcionam para familiares e amigos. E os preços desses estabelecimentos não tiveram, de forma geral, mudança em relação aos valores de 2012.

Em alguns casos, houve até queda. O cinquentão restaurante São Francisco, do bairro Demarchi, em São Bernardo, por exemplo, cobra R$ 130 por pessoa neste ano. Em 2012, o valor era maior: R$ 150. O pacote dá direito a comida e bebida (cerveja, refrigerante e água) a noite toda. A criançada poderá acompanhar a chegada do Papai Noel e os adultos contam com banda ao vivo durante a comemoração. “Neste ano as reservas estão ótimas, já superou em 50% o movimento do ano passado em relação às reservas”, conta o gerente operacional, Jacir João da Silva. No dia do Natal, o almoço custa R$ 55 por pessoa. Caso o cliente não queira a bebida, pagará R$ 39,90. No restaurante de São Caetano 7 Mares os convites para a noite de Natal já se esgotaram. O local tem capacidade de atender 480 clientes. “Só temos 20% das mesas para a noite de Ano-Novo. A procura neste ano está sendo muito boa”, admite Wesley Calcin, gerente de eventos do restaurante. Para a noite natalina os clientes pagaram R$ 95 por pessoa. No Reveillon, passa a ser entre R$ 200 a R$ 220 (1º e 2º lotes). O cliente tem direito a bebidas, comidas e música.

Na Churrascaria Rosa’s, de Santo André, o tíquete médio gasto no almoço de Natal fica entre R$ 45 e R$ 60 por pessoa. “Nosso cardápio é o mesmo dos demais dias. Os carros-chefes são o filé mignon à parmegiana e a salada de escarola com vinho e torresmo.” No estabelecimento não são feitas reservas, o atendimento é feito por ordem de chegada. “Quem não quer ficar esperando deve chegar até 12h15. Depois desse horário, a fila é inevitável.”

A Churrascaria São João, em Santo André, é tradicional para comemoração da passagem do ano. O valor por pessoa é de R$ 130. “O fluxo de clientes sobe até 50% nesse dia. Temos um DJ no local, oferecemos rodízio de carnes, mesa de saladas e pratos quentes, bebidas, inclusive champanhe, e sobremesa. É diversão garantida. A clientela é bastante fiel”, cita Luis Caldas Fernandes, proprietário do local. “As reservas já estão sendo feitas.”

De acordo com o presidente do Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), Roberto Moreira, na ceia natalina é comum que os restaurantes do Grande ABC ocupem 100% da capacidade. Já no dia 25, o fluxo aumenta em torno de 30%, em relação a dias normais. “O fato de a data cair no meio da semana fomenta o movimento nos estabelecimentos. É mais prático”, diz.

EM CASA

Com base em pesquisa recente da Craisa (Companhia de Abastecimento de Santo André), se uma família pequena (de dois adultos e duas crianças) comprar um panettone Bauducco, de 500g, um espumante nacional, quatro quilos de peru temperado e meio quilo de nozes nos mercados da região, gastará em torno de R$ 85,39. “Isso sem contabilizar demais bebidas, gastos com pratos típicos, como farofa, maionese, arroz festivo”, diz o engenheiro o engenheiro agrônomo da Craisa Fábio Vezzá De Benedetto. “Se for uma família grande, já compensa, cada um leva um prato.” Só o peru resulta em gasto de R$ 52,68, em média.

SUPERMERCADOS

Quem não quer ter o trabalho de preparar a ceia de Natal ou gastar em restaurantes tem a opção de comprar os alimentos prontos. A variedade de preços é imensa, para todos os gostos e bolsos. No Walmart são oferecidos pratos avulsos. A rede espera que a procura pelos itens cresça até 10% em relação ao ano passado. O cardápio completo possui pratos que custam a partir de R$ 14,98, o quilo. Salada de maionese, salpicão de frango, farofa temperada, chester, peru, tender assados e outras opções são encomendados até o dia 22 para o Natal e até dia 29 para o Ano-Novo. O quilo de salgadinhos (coxinhas, bolinho de queijo etc) sai por R$ 26,98.

No Carrefour, há opções de kits, entre eles o que serve entre quatro e seis pessoas e custa R$ 129,90, e que inclui chester, arroz a grega, farofa, salpicão e molho de frutas. Já o pacote para seis a oito pessoas é vendido por R$ 239,90, com peru, tender, arroz com frutas secas, farofa, maionese e molho de maracujá.

Na rede Extra o cardápio especial oferece oito tipos de carnes, seis acompanhamentos e entradas, e sobremesas. Além disso, disponibiliza duas opções de ceias. O clássico serve seis pessoas e vem com chester, arroz com passas e xerém de castanha, salpicão de frango e torta de palmito. O valor é de R$ 129,90, o que dá R$ 21,65 por pessoa. Já o que serve quatro pessoas vem com manta de pernil a pururuca, arroz a grega, farofa de alho-poró com amêndoas e maionese de legumes. Sai por R$ 89,90, ou seja, cerca de R$ 22,50 por pessoa. Os pratos podem ser encomendados na rotisserie de cada loja até o dia 22 e até o dia 29 para o Reveillon.

Se a opção for encomendar de padarias há duas em Santo André que são tradicionais em preparação de pratos natalinos. A Bella Vitória oferece inúmeros pratos e diversos preços. Se a família optar por quatro quilos de peru decorado, um quilo de farofa e outro de arroz de festa além do salpicão, a ceia terá custo de R$ 359. Comparando o mesmo cardápio na Padaria Brasileira o cardápio custará R$ 374,50. A ideia é que a pessoa possa escolher e montar o menu que mais lhe agrada e de acordo com o quanto está disposta a gastar. Só nao vale deixar para a última hora. Nas panificadoras o ideal é pedir com 48 horas de antecedência, pelo menos.

Por Tauana Marin - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2022 - Desde 2003 à 7048 dias no ar.