NOTÍCIA ANTERIOR
Brasil registra mais de mil casos de sarampo, diz Ministério da Saúde
PRÓXIMA NOTÍCIA
Estado de SP vacinou 17% das crianças contra poliomielite e 17% contra sarampo
DATA DA PUBLICAÇÃO 07/08/2018 | Saúde e Ciência
Campanha aplica 177 mil doses contra sarampo e poliomielite em São Paulo
 Campanha aplica 177 mil doses contra sarampo e poliomielite em São Paulo Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
A Campanha de Vacinação iniciada no sábado, 4, na cidade de São Paulo aplicou, até a tarde desta segunda-feira, 6, mais de 177 mil doses de vacinas contra o sarampo e a poliomielite em Unidades Básicas de Saúde (UBS) - uma criança pode ter recebido uma dose de cada vacina. A meta da Secretaria Municipal de Saúde é vacinar 95% da população entre 1 e 4 anos, o que equivale a 562,3 mil pessoas. A cobertura contra a pólio está em 15,2% e da tríplice viral SRC (sarampo, rubéola e caxumba), em 14,8%. Em todo o Estado, no primeiro dia da campanha, 326 mil crianças já haviam sido vacinadas.

As doses da campanha estarão disponíveis em todas as UBS do município até 31 de agosto. A secretaria diz que, neste período, é fundamental que os pais ou responsáveis levem as crianças até o posto de saúde mais próximo para se vacinar mesmo que a carteirinha de vacinação esteja em dia. "O reforço na imunização das crianças é importante para reduzir o risco de reintrodução da poliomielite no Brasil assim como o de circulação de sarampo e rubéola na capital."

A pasta lembra que para receber a vacina no município é preciso levar documento de identificação e, se possível, carteira de vacinação e cartão SUS. Para saber qual a UBS de referência de seu endereço, consulte o Busca Saúde.

As crianças menores de 2 anos de idade não devem tomar simultaneamente as vacinas contra o sarampo e a febre amarela, reforça a secretaria. "É recomendável um intervalo de 30 dias entre as doses, sendo que a dose da campanha deve ser priorizada."

As contraindicações das vacinas são para pessoas que apresentam imunodeficiência congênita ou adquirida, como portadores de neoplasias malignas, submetidos a transplantes de medula ou outros órgãos; infectados pelo HIV, que estão em tratamento com corticosteroides em dose alta; ou que tenham alergia grave a algum componente da vacina ou dose anterior. Crianças com febre muito alta também devem evitar a aplicação.

De acordo com a secretaria, o esquema da vacina contra a poliomielite consiste em três doses aplicadas na criança menor de 1 ano (aos 2, 4 e 6 meses de idade) e duas doses de reforço administradas aos 15 meses e aos 4 anos. No caso do sarampo, a primeira dose da vacina tríplice viral é administrada aos 12 meses e a segunda, aos 15.

Por Estadão Conteúdo - Diário Online
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Saúde e Ciência
20/09/2018 | Campanha contra sarampo e poliomielite segue na região
19/09/2018 | É melhor dormir com ou sem meias?
19/09/2018 | Forma de andar mostra os vícios de postura
As mais lidas de Saúde e Ciência
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6194 dias no ar.