NOTÍCIA ANTERIOR
''Vende-se um Véu de Noiva'' ocupa quarto lugar no ibope
PRÓXIMA NOTÍCIA
Filmes nacionais atraem 9,5 milhões de espectadores
DATA DA PUBLICAÇÃO 19/06/2009 | Cultura
Bichos-Coisa invadem Casa do Olhar
Muitas ideias, desenhos, formas e criatividade. Misturando todos esses ingredientes, a artista visual e design gráfica Denise de Sousa Almeida, mais conhecida como Dninja, apresenta a mostra "Bicho Coisa", que abre hoje para o público. A atração, que faz parte da exposição "Todo o Ouro do Mundo", pode ser conferida de segunda a sábado, das 10h às 17h, na Casa do Olhar, em Santo André. A entrada é franca.

O acervo de cerca de 20 obras feitas por Dninja - apelido recebido graças ao seu fascínio pelos filmes de kung fu - é repleto de seres que saem do imaginário da artista. "Sempre gostei de animais e da natureza, mas meus desenhos não são de algum bicho específico. Na verdade, faço uma grande mistura de características que dão origem a uma espécie de ‘bicho-coisa'', algo que não sei bem explicar", diz a grafiteira.

Acostumada a levar sua arte para as ruas, utilizando os muros da região como painel, ela aposta nas técnicas de pintura em acrílico e em spray para apresentar sua primeira mostra.

Quase todos os trabalhos foram feitos exclusivamente para a mostra, com algumas obras antigas complementando o material exposto. Além das telas, o público poderá conferir desenhos feitos em estandartes. "Acho que este suporte casou bem com os personagens."

Natural de Belo Horizonte, em Minas Gerais, Dninja começou ainda criança. Na adolescência, demonstrou seu interesse por arte e há dez anos trabalha com o grafite. Apesar da paixão pelo estilo, confessa que viver apenas dele é praticamente impossível. Segundo ela, "depender do grafite é ilusão. O grafiteiro precisa utilizar sua técnica em diversas áreas".

A artista vive em Santo André há cinco anos. Sua relação com o Grande ABC deve-se ao fato de ter se casado com o grafiteiro andreense Does. As diferenças dos estilos mineiro e paulista lhe chamam a atenção. "O grafite em Belo Horizonte não é tão forte quanto o de São Paulo. Em Minas, o estilo já evoluiu bastante, mas aqui sempre foi algo tradicional e único", explica.

Dninja dá aulas de grafite no projeto Centro de Referência da Juventude, em Santo André, e no Programa Juventude Cidadã, em São Bernardo. Para os interessados em aprender essa linguagem, alerta: "é complicado de fazer, assim como o skate e o break. É um caminho muito difícil a se percorrer". Apesar das dificuldades, Dninja afirma que o esforço vale a pena.

Bicho Coisa - Exposição. Abertura hoje. Na Casa do Olhar - Rua Campos Sales, 414. Tel.: 4992-7730. Grátis. 2ª a sáb., das 10h às 17h. Até 18 de julho.

Por Luís Felipe Soares - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Cultura
25/09/2018 | Encontro com o passado
21/09/2018 | ''Sou muito feminino, isso é uma grande qualidade'', diz Chay Suede a Pedro Bial
20/09/2018 | Avril Lavigne lança Head Above Water, música sobre a doença a qual sofre
As mais lidas de Cultura
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2021 - Desde 2003 à 6771 dias no ar.