NOTÍCIA ANTERIOR
''Há meninas com pê nis e meninos com va ginas'': a polêmica campanha sobre transe xuais na Espanha
PRÓXIMA NOTÍCIA
Ministério confirma 8ª morte por febre amarela contraída em Minas Gerais
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/01/2017 | Saúde e Ciência
Bebês recordam língua que ouvem no começo da vida
Estudo com adultos sul-coreanos que tinham sido adotados por casais holandeses revela que aquisição precoce da linguagem é processo abstrato que não depende apenas de experiência prática.

Os bebês constroem o conhecimento sobre o seu idioma já nos primeiros meses de vida. Por isso, mesmo que uma pessoa mude de país e esqueça a sua língua nativa, ainda assim será capaz de voltar a falá-la rapidamente, dizem os cientistas.

Uma pesquisa feita com adultos sul-coreanos que tinham sido adotados quando bebês por casais holandeses mostrou que estes superaram as expectativas na pronúncia de sua língua natal após receberem treinamento.

Os cientistas afirmam que os pais devem conversar o máximo possível com os bebês desde os primeiros meses.

A pesquisa foi chefiada pela Dra. Jiyoun Choi, da Universidade Hanyang, de Seul, na Coreia do Sul.

Conhecimento precoce

Ela explica que o estudo é o primeiro a mostrar que o contato precoce de crianças adotadas com a sua língua nativa será importante décadas depois, mesmo quando elas acreditarem ter esquecido aquele idioma.

"Esta descoberta indica que o conhecimento da linguagem é armazenado nos primeiros meses de vida, ficando preservado mesmo quando não é usado e podendo ser revelado quando se reaprende a língua", disse à BBC News.

No estudo, adultos sul-coreanos com idades em torno de 30 anos e que foram adotados ainda bebês por famílias holandesas, tiveram que pronunciar consoantes em coreano depois de fazer um curso rápido do idioma.

Em coreano, as consoantes são totalmente diferentes das existentes em holandês.

O grupo analisado foi comparado com adultos que não haviam tido qualquer contato com o idioma coreano na infância e ambos foram avaliados por coreanos nativos.

Antes de fazerem o curso rápido da língua, os dois grupos tiveram o mesmo desempenho. Mas, depois das aulas, os adultos que haviam sido adotados apresentaram resultados surpreendentes ao falar coreano.

Processo abstrato

Não houve diferenças entre as pessoas adotadas com menos de seis meses - ou seja, antes de aprenderem a falar - e as adotadas a partir de um ano e meio, quando já haviam aprendido a falar.

Isso indica que o conhecimento da linguagem é mais de natureza abstrata, em vez de depender apenas da experiência prática, segundo os cientistas.

A Dra. Jiyoun Choi diz que o estudo traz ensinamentos práticos para os pais.

''Por favor, lembrem-se que o processo de aprendizado da linguagem começa muito cedo e que o conhecimento prático da linguagem é armazenado nos primeiros meses de vida, como mostra o nosso estudo", afirma.

''Tente falar com o seu bebê sempre, porque ele está absorvendo e digerindo o que você está dizendo".

O processo de aquisição da linguagem começa extremamente cedo, ainda quando o bebê está na barriga da mãe.

Ao nascer, os bebês já conhecem a voz materna.

Há muito sabe-se que a base para falar e ouvir uma língua nativa é estabelecida muito cedo. Mas o que não se sabia até agora era que a aquisição precoce da linguagem é um processo abstrato.

Por Helen Briggs - G1, BBC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Saúde e Ciência
20/09/2018 | Campanha contra sarampo e poliomielite segue na região
19/09/2018 | É melhor dormir com ou sem meias?
19/09/2018 | Forma de andar mostra os vícios de postura
As mais lidas de Saúde e Ciência
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
06/04/2020 | Atualização 06/04/2020 do avanço Coronavírus na região do ABC Paulista
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6240 dias no ar.