NOTÍCIA ANTERIOR
Nova audiência busca acordo para os Correios
PRÓXIMA NOTÍCIA
Dia das Crianças deve movimentar R$ 45 milhões
DATA DA PUBLICAÇÃO 26/09/2012 | Economia
Bancos oferecem 7,5% de reajuste salarial; greve completa oito dias
Bancos oferecem 7,5% de reajuste salarial; greve completa oito dias Agências da Região fechadas pelos bancários em campanha salarial. Foto: Andris Bovo
Agências da Região fechadas pelos bancários em campanha salarial. Foto: Andris Bovo
Categoria realiza assembleia nesta quarta-feira para avaliar proposta e decidir sobre o rumo do movimento

A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) apresentou nesta terça-feira (25/09) nova contraproposta de reajuste salarial, que eleva para 7,5% o índice de reajuste dos trabalhadores; para 8,5% o aumento do piso salarial e dos auxílios-refeição e alimentação; e para 10% a parcela fixa da PLR (Participação nos Lucros e Resultados), assim como dos tetos da regra básica e do adicional.

O comando nacional, coordenado pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), avalia a oferta patronal e definirá as orientações a ser levadas às assembleias que deverão ser realizadas nesta quarta-feira (26/09) pelos 137 sindicatos ligados à entidade.

Os trabalhadores deflagraram greve nacional no último dia 18, depois de rejeitar proposta de 6% de reajuste feita pela Fenaban no dia 4. Até segunda-feira (24), 9.386 agências nos 26 estados e no Distrito Federal haviam aderido à greve. Só na base do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, cerca de 35 mil trabalhadores participam do movimento. Segundo a entidade, as negociações específicas com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal serão feitas após as conversas com a Fenaban.

Pela proposta, o piso iria a R$ 1.519, o auxílio-refeição passaria a R$ 472,15 (R$ 21,46 por dia) e a cesta-alimentação, para R$ 367,90. A regra básica da PLR seria de 90% do salário mais R$ 1.540 fixos, com teto de R$ 8.414,34. Se a distribuição do lucro líquido não atingir 5%, os valores passam para 2,2 salários, com teto de R$ 18.511,54.

No ABCD - Na Região, o movimento começou no Centro de Santo André, na terça-feira (18/09), com o fechamento de 45 agências. No segundo dia, se espalhou para outros municípios e concentrou o fechamento em Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. No terceiro dia de mobilização foram paralisadas todas as agências de São Caetano e as do bairro Rudge Ramos, em São Bernardo. Na sexta-feira (21/09), mais algumas unidades dos bairros de São Bernardo e Diadema foram fechadas, totalizando 120 agências da Região fechadas. Na segunda-feira ( 24) a ação foi reforçada no centro de São Bernardo.

No ano passado, as agências de todo o País ficaram fechadas por 21 dias. No ABCD, são 7.500 trabalhadores bancários e 370 agências.

Serviços - Os serviços como pagamentos, saques, transferências e depósitos podem ser realizado nos caixas eletrônicos, em lotéricas, agências dos Correios, pela internet ou pelo telefone. Já troca de senhas de cartões e contração de empréstimos de valor alto, como para financiamentos ou compras de imóveis e automóveis estão suspensos no período da paralisação.

Por ABCD Maior - Redação
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2021 - Desde 2003 à 6840 dias no ar.