NOTÍCIA ANTERIOR
Lojistas celebram vendas da Feira de Móveis
PRÓXIMA NOTÍCIA
Trabalhadores e empresários exigem juros menores
DATA DA PUBLICAÇÃO 18/10/2011 | Economia
Bancários voltam a trabalhar nesta terça-feira
Bancários voltam a trabalhar nesta terça-feira  Trabalhadores decidem em assembleia encerrar a greve / Foto: Marciel Peres
Trabalhadores decidem em assembleia encerrar a greve / Foto: Marciel Peres
Os bancários voltam a trabalhar nesta terça-feira (18/10) após 21 dias de greve. A categoria decidiu aceitar as propostas feitas pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos). Os trabalhadores do ABCD aprovaram os itens em assembleia realizada em frente à sede da entidade, em Santo André, no início da noite de segunda-feira.

Em negociação realizada sexta-feira (14/10) entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban, a nova proposta dos banqueiros estabeleceu 9% de reajuste sobre os salários e aumento do piso para R$ 1.400,00, o piso atual nos bancos privados é de R$ 1.250,00, isso significa 4,3% de aumento real.

Sobre os dias parados, a proposta da Fenaban é a mesma do ano passado, ou seja, serão compensados desde a data da assinatura do Acordo Coletivo até 15 de dezembro de 2011. Não haverá desconto.

A categoria reivindicava melhores condições de trabalho e reajuste salarial de 12,8%. Durante a mobilização, no ABCD ficaram fechadas 130 das 400 agências e parados três mil, dos 7,5 mil trabalhadores da base da categoria na Região.

Na avaliação da presidente do Sindicato dos Bancários do ABC, Maria Rita Serrano, a proposta apresentada atende às principais reivindicações dos bancários: aumento real de salário pelo oitavo ano consecutivo, valorização do piso, distribuição de um valor maior de PLR (participação nos lucros e resultados), e avanços nas cláusulas de segurança e saúde do trabalhador.

Sobre a PLR, a regra básica será de 90% do salário mais R$ 1.400,00. Assim, a parte fixa, que em 2010 foi de R$ 1.100,80, será reajustada em 27,18%. Nos maiores bancos, como Itaú/Unibanco, Bradesco e Santander, os trabalhadores devem receber 2,2 salários a título de PLR. Isso porque a regra determina que devem ser distribuídos no mínimo 5% do lucro liquido. Se isso não acontecer, os valores de PLR devem ser aumentados até chegar a 2,2 salários com teto de R$ 17.220,04. Pela proposta, o valor adicional à PLR passa de R$ 2.400,00 para R$ 2.800,00, o que significa aumento de 16,66% em relação ao que foi pago em 2010.

Os banqueiros também concordaram com a proibição de transporte de valor por bancários; fazer o monitoramento eletrônico das agências; fim da publicação do ranking individual. As reuniões das mesas temáticas de Terceirização, Saúde no Trabalho, Igualdade de Oportunidades e Segurança passam a ser trimestrais.

Por Michelly Cyrillo - ABCD Maior
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui
As últimas | Economia
25/09/2018 | Operação mira sonegação de R$ 100 mi de grupos cervejeiros e cerca Proibida
25/09/2018 | Greve na Argentina cancela voos no Brasil nesta terça-feira
25/09/2018 | Demanda por GNV aumenta até 350% após alta na gasolina
As mais lidas de Economia
Relação não gerada ainda
As mais lidas no Geral
Relação não gerada ainda
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2020 - Desde 2003 à 6197 dias no ar.