Boa Tarde - Mauá,
Sexta-feira, 31 de outubro de 2014
 
 
 
Mauá Virtual
 

NOTÍCIA ANTERIOR
Supermercados invadem o segmento de remédios
PRÓXIMA NOTÍCIA
Pizza Hut oferece 15 oportunidades no Grande ABC
terça-feira, 15 de janeiro de 2008 - 11:22h | Economia
Auxílio-doença garante estabilidade

O trabalhador que estiver afastado do trabalho recebendo auxílio-doença do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) não pode ser demitido da empresa nesse período. Quem recebe esse benefício por acidente do trabalho ou doença profissional tem ainda estabilidade no emprego por mais 12 meses depois de parar de receber do INSS.

Já no auxílio-doença comum (se o afastamento não ocorreu por acidente do trabalho ou por doença profissional) a estabilidade vale apenas durante o recebimento do benefício; a empresa pode demitir o beneficiário assim que ele voltar ao trabalho.

O INSS concede dois tipos de auxílio-doença: o comum e o acidentário. O auxílio-doença comum é pago pela Previdência Social ao trabalhador que, por doença ou acidente não relacionados ao trabalho, tem de ficar afastado da atividade profissional por mais de 15 dias. Durante os 15 primeiros dias de afastamento, o salário é pago pela empresa. A partir do 16º dia, o INSS assume a responsabilidade.

Além dos trabalhadores com carteira assinada, os segurados autônomos, empresários, as empregadas domésticas e os contribuintes facultativos (donas de casa, estudantes e desempregados) podem requerer esse benefício. Para isso, é necessário que eles estejam contribuindo para a Previdência Social há, pelo menos, 12 meses.

Já o auxílio-doença acidentário é concedido ao segurado que ficar incapacitado para sua atividade em decorrência de acidente do trabalho ou doença profissional. O INSS considera como acidente do trabalho aquele que ocorre no exercício de atividade a serviço da empresa e, como doença profissional, aquela que é produzida pelo exercício de uma atividade peculiar ao trabalho.

Ao contrário do auxílio-doença comum, o auxílio-doença acidentário não exige tempo mínimo de contribuição e só é concedido para o segurado empregado (exceto o doméstico), segurado especial (trabalhador rural) e ao trabalhador avulso.

 

Por Diário do Grande ABC
Enviar Notícia à um Amigo  Imprimir Notícia 
 
Comente
 
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Gerais - Clique Aqui

As últimas | Economia

31/10/2014
Saiba o quanto custa casar no ABCD

31/10/2014
Lay-off é adotado na GM e demissões, canceladas

29/10/2014
CNDL:lojista espera alta de 3% em venda a prazo no Natal

29/10/2014
Fipe: desconto e preço de água mineral afetarão inflação

28/10/2014
Lavagem a seco: opção para economizar água


As mais lidas de Economia

29/10/2014
Fipe: desconto e preço de água mineral afetarão inflação

29/10/2014
CNDL:lojista espera alta de 3% em venda a prazo no Natal

31/10/2014
Lay-off é adotado na GM e demissões, canceladas

31/10/2014
Saiba o quanto custa casar no ABCD

28/10/2014
Natal deve gerar mais vendas e empregos temporários, diz CNC


As mais lidas no Geral

28/10/2014
Após paralisação, empresa gráfica em Mauá atende pauta dos trabalhadores

29/10/2014
Homicídio em balada deve ser esclarecido no próximo mês

28/10/2014
Carreta tomba em interligação do Rodoanel

28/10/2014
Após nove anos, Lara vai ampliar o principal aterro sanitário da Região

26/10/2014
Vacinação antirrábica começa em novembro na Região




Mauá Virtual - O Guia Virtual da Cidade
Todos os direitos reservados - 2014 - Desde 2003 à 4253 dias no ar.

Página Inicial     Anuncie Conosco     Fale Conosco
 
Projeto desenvolvido
pela Agência de
Web & Design Globeweb
www.globeweb.com.br
Produzido por | globeweb | www.globeweb.com.br